Ação fomenta interesse em áreas com baixa representatividade feminina

Expedição ‘Meninas curiosas, Mulheres do Futuro’ segue até a próxima sexta

Publicado quarta-feira, 13 de julho de 2022 às 05:45 h | Atualizado em 13/07/2022, 00:31 | Autor: Amanda Souza
Meninas encantadas na apresentação da peça ‘Uma Janela Para Mundo’ ontem
Meninas encantadas na apresentação da peça ‘Uma Janela Para Mundo’ ontem -

“Meu pai diz que eu devo lavar roupas e ler romances. Eu até gosto de romances, mas ainda não encontrei nenhum que ensine a medir a distância entre as estrelas”. Essa é uma das reflexões de Estela, personagem do espetáculo ‘Uma Janela Para Mundo’, que chegou a Salvador, ontem, de maneira muito especial.

A peça teatral é uma das atividades da expedição ‘Meninas Curiosas, Mulheres do Futuro’ promovida pela iniciativa Força Meninas e viabilizada pela Lei de Incentivo à Cultura. A expedição está rodando o país e fica em Salvador até a próxima sexta-feira e vai receber alunas de escolas municipais.

A atividade está sendo realizada no Parque da Cidade e, além da apresentação teatral, conta com palestras e oficinas. A proposta é despertar o interesse por áreas que, em geral, possuem baixa representatividade feminina, como ciência, tecnologia, engenharias e matemática.

Virgínia Wolfovitch é professora de matemática da Escola Municipal Joir Brasileiro e estava acompanhando suas alunas. “São áreas que as meninas se interessam pouco e isso pode ser uma sementinha que está sendo plantada para virar uma árvore forte. É importante que elas descubram a ciência como estudo e fonte de renda”.

Nordélia Neiva também foi acompanhar suas alunas. Ela dá aulas de língua portuguesa na Escola Municipal Teodoro Sampaio. “É um tema muito interessante para desenvolver com os meninos. Esses estereótipos de desigualdade em relação à mulher tem que ser desconstruídos na escola”.

Espetáculo

‘Uma Janela Para o Mundo’ é uma criação da Força Meninas em parceria com a Cia Realejo. A história é sobre Estela e Luna, duas meninas que se encontram num universo paralelo após uma viagem no tempo. Detalhe, Estela vive em 1922 e quer ser uma grande cientista, mas é impedida pelos preconceitos contra a mulher naquele tempo. Já Luna vive em 2022, e apesar das muitas possibilidades, tem muitos medos. Com a ajuda da cientista Celeste, elas vão conhecer a trajetória de mulheres que quebraram barreiras e escreveram o seus nomes na história.

Projeto

A Força Meninas é uma plataforma socioeducativa com foco em meninas. “Temos diversos programas e uma comunidade digital que tem o objetivo de desenvolver habilidades para que meninas protagonizem as oportunidades no século 21”, explica Déborah de Mari, fundadora do projeto. 

A iniciativa surgiu numa busca dela por sentido e o desejo de gerar uma mudança que acreditava no mundo. “Hoje sou uma empreendedora social que busca não se acomodar com o que incomoda. Acredito que a mudança que provocamos na sociedade está apenas no início, atuamos em alguns casos como uma semente”.  

Dessa maneira, o Força Meninas atende público de 13 a 21 anos que busca desenvolver atividades de liderança, empreendedorismo, inteligência financeira e economia verde.

Publicações relacionadas