adblock ativo

Ação lúdica ensina a combater o Aedes aegypti

Publicado segunda-feira, 23 de maio de 2016 às 22:15 h | Atualizado em 23/05/2016, 21:41 | Autor: Yuri Pastori
Jogo gigante 'Zika Zero'
Jogo gigante 'Zika Zero' -
adblock ativo

Uma ação divertida de combate ao mosquito Aedes aegypti iniciou-se nesta segunda-feira, 23, e vai até esta terça, 24, na capital baiana das 8h às 17h, na praça Newton Rique, em frente ao Shopping da Bahia. O jogo gigante 'Zika Zero' é uma iniciativa do Ministério da Saúde (MS) e vai percorrer as capitais do Nordeste até o dia 25 de junho.

O objetivo é que a população possa aprender, de maneira lúdica, a eliminar as larvas do mosquito, impedindo o vetor de nascer. Adultos e crianças recebem orientações sobre o combate ao mosquito Aedes aegypti e podem jogar a versão digital em totens.

Jean Bonfim, 8 anos,  aproveitou que a tia vende pipoca na praça onde ocorre a ação  para brincar. "É muito legal", disse  sorridente. A doméstica Maria Helena da Silva, 64, ficou curiosa com o brinquedo e considera importante a conscientização. "Eu já tive dengue e zika, então vim conhecer".

Por meio de um botão, o jogador faz a água e o lixo, onde larvas do mosquito Aedes aegypti flutuam, se mexer. Com a movimentação da água, a larva tem que ir para o alvo indicado, que é uma lixeira. Cada vez que uma larva é colocada no alvo, um alerta com informação sobre prevenção aparece na tela.

Além disso, cada larva eliminada dá pontos para o jogador. Quem participa leva um adesivo da campanha e um panfleto informativo com 11 maneiras de combater o zika.

Assim, será possível conscientizar não só quem for abordado na intervenção, mas quem compartilhar a informação por  meio das redes sociais.

Estado

A coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Jesuína Castro, que esteve presente na ação, disse que desde que foi criado o Plano Nacional de Enfrentamento da Microcefalia houve uma ampliação da intervenção e eliminação do vetor.

"As visitas à residências e prédios públicos são feitas a cada dois meses e procura-se reduzir o tempo de visita. Hoje, no estado, temos 304 municípios com dengue e zika ao mesmo tempo e 237 com dengue, zika, chikungunya ao mesmo tempo. Então, são necessárias ações complementares para conscientizar a população", disse.

Este ano, até o último dia 5, foram notificados 36.725 casos suspeitos de zika, 25.065 casos suspeitos de chikungunya e 46.985 casos prováveis de dengue na Bahia, representando uma incidência de 241,5 casos/100 mil hab., 164,9 casos/100 mil hab. e 309 casos/100 mil hab., respectivamente.

adblock ativo

Publicações relacionadas