Bruno Reis garante operação de transporte da CSN e adia 'presentes' para aniversário de Salvador

Publicado segunda-feira, 29 de março de 2021 às 11:13 h | Atualizado em 29/03/2021, 11:17 | Autor: Fernando Valverde

Após nove meses de intervenção, a Prefeitura de Salvador assumiu a operação direta da bacia de transporte que era operada pela Concessionária Salvador Norte (CSN) e que teve seu contrato rescindido.

Com a responsabilidade de operar os itinerários da Orla e as linhas da Estação Mussurunga, o prefeito Bruno Reis, em entrevista para o programa Isso é Bahia da rádio A TARDE FM (103.9), garantiu a execução do serviço até que outra empresa seja selecionada por meio de licitação.

"Já estamos operando a empresa a mais de 9 meses então já estávamos inteirados de todo o funcionamento e operação da bacia e o que muda agora é que faremos gestão direta dessa bacia. Não tivemos nenhum grupo interessado que tenha condições para assumir esse contrato e a Prefeitura está cumprindo seu papel. Uma das minhas obrigações é a de fornecer o transporte coletivo seja de forma direta ou indireta, através de concessão. Na prática não haverá alteração pois a bacia apenas deixará de operar sob o CNPJ da empresa e passará a operar sob o CNPJ da Prefeitura. A atuação continua a mesma", afirmou.

Ainda de acordo com Bruno, a Prefeitura irá entrar em tratativas com os rodoviários da empresa, que ameaçaram entrar em paralisação, e buscará garantir as indenizações de direito da categoria em uma operação conjunta com o Ministério Público. De acordo com o gestor, as dívidas acumuladas pela CSN chegam aos R$516 milhões sendo R$125 milhões procedentes de rescisões e processos trabalhistas.

"Esperamos que os rodoviários entendam a dificuldade que temos em arrecadar recursos e saiba que estamos abertos para o diálogo. Vamos contratar o máximo de trabalhadores que for possível para manter o transporte público", apontou.

Presentes adiados

Uma das obras prometidas para a comemoração do aniversário de 472 anos de Salvador nesta segunda-feira, 29, o Museu da Música Brasileira, instalado no Casarão dos Azulejo Azuis no Comércio, teve sua entrega adiada. De acordo com o prefeito, pela dificuldade do momento, com o aumento dos indíces da pandemia do Covid-19, e o fechamento das atividades não-essenciais em todo o estado, os "presentes" para a cidade precisarão ser entregues depois dentro do plano de retomada de atividades na capital baiana.

"Teríamos muitos presentes para entregar hoje. A conclusão da Estrada do Aeroporto, uma grande via para nossa cidade que já está pronta, diversas obras entre elas o Centro Cultural Casa da Música Brasileira. Um equipamento que tem a cara da nossa cidade, seria entregue hoje mas não faz sentido inaugurar o equipamento e não poder ser utilizado por conta da pandemia, já que temos atividades suspensas. Deixamos isso para um próximo momento que vai simbolizar a retomada do segmento de eventos na nossa cidade", pontuou.

Publicações relacionadas