Evento CASACOR Bahia termina neste domingo

Publicado segunda-feira, 02 de dezembro de 2019 às 19:16 h | Atualizado em 02/12/2019, 19:35 | Autor: Da Redação

Esta é a última semana para visitar o espaço da arquiteta Lais Galvão na CASACOR Bahia, que vai até domingo, 8, no Horto Florestal, em Salvador. Inspirado por grandes nomes da arquitetura modernista do século 20 como Lina Bo Bardi e Oscar Niemeyer, o projeto traz referências da época como o concreto e os azulejos.

Agregador e cheio de vivências, o loft acompanha os novos fluxos comportamentais, com todos os ambientes integrados na intenção de simplificar suas funções, dando praticidade no cotidiano. 

Um grande painel em concreto e madeira une os ambientes de sala de estar e quarto, produzindo uma continuidade visual. A cozinha, por ser um ambiente bastante utilizado, se encontra como elemento essencial e importante no convívio diário, fazendo parte de uma área nobre do espaço.

Já o banheiro segue na mesma linguagem de materiais e de integração, possuindo apenas fechada a área de vaso que requer privacidade adequada. A utilização do concreto, do vidro e da vegetação faz a ligação do ambiente com o espaço urbano externo, onde um espelha os elementos do outro.

O uso de azulejo com padrão geométrico conecta e unifica o espaço, remetendo à identidade do movimento moderno brasileiro e da arquitetura de Brasília. Sem exageros na quantidade do mobiliário, ele se apresenta solto no espaço com a finalidade de conseguir futuras transformações de layout. Esta flexibilidade é importante, pois o homem está em constantes mudanças. Sendo assim, foi escolhido para a sala um sofá dividido em módulos.

A poltrona Alta, de Oscar Niemeyer, a cadeira Tripé, de Lina Bo Bardi e os azulejos com padrão geométrico ganham destaque e fazem o link da arquitetura interna do espaço com o design dos tempos modernistas que permanece atemporal. A mesa extensível Big Will, de Philippe Starck, compõe uma solução leve e de fácil condução.

A cozinha, em módulos da Cinex, segue na mesma linha de leveza visual, com sua praticidade de transporte na peça do carrinho. A produção sem exageros fica por conta de obras de arte, livros e vegetação, humanizando o loft.

Publicações relacionadas