'Feriadão' provoca caos no trânsito e filas

Publicado sexta-feira, 15 de novembro de 2019 às 09:02 h | Atualizado em 15/11/2019, 09:16 | Autor: Vitor Castro*

Trânsito travado, filas quilométricas e até gente passando mal. Foi esse o cenário nas ruas e terminais de saída de Salvador durante boa parte desta quinta-feira, 14, provocado pela movimentação intensa de veículos e pedestres por causa do feriado da Proclamação da República, comemorado nesta sexta-feira, 15. Para quem optou viajar pelo sistema de ferry-boat, filas de quase três quilômetros congestionaram o trânsito em várias regiões da Cidade Baixa (leia adiante).

Pedestres que utilizaram o serviço, tiveram que enfrentar longas filas. A reportagem flagrou uma pessoa passando mal na fila, em razão do aperto e de horas de espera. Ela chegou a cair no chão.

De acordo com a Transalvador, os congestionamentos ocorreram em vários pontos da capital desde o começo da manhã desta quinta. Por volta das 15h, os motoristas que passaram pela avenida Antônio Carlos Magalhães (ACM), na altura do Terminal Rodoviário de Salvador, já encontravam lentidão por conta do grande fluxo de pessoas utilizando o serviço para deixar a cidade.

Quem foi de carro ao Terminal Marítimo de São Joaquim, para a travessia até Bom Despacho, sentiu o reflexo do congestionamento desde a entrada do túnel que liga a Via Expressa à Cidade Baixa. A Transalvador informou que houve congestionamentos ao longo de todo o dia na região da Calçada, Tancredo Neves e na ACM por conta do alto fluxo de veículos com destino ao Terminal Rodoviário. Além disso, o trânsito ficou parado na Av. Engenheiro Oscar Pontes, sentido São Joaquim.

O analista de sistemas Wagner Araújo chegou na fila para pegar o ferry às 17h. Ele conta que levou 1h30 para percorrer cerca de 400m. “Em dias normais eu sairia daqui às 17h e chegaria em Salinas [das Margaridas] às 20h. Hoje eu não chego lá antes das 23h”. Ele ressaltou ter o  hábito de comprar a hora marcada do ferry, mas desta vez, não conseguiu.

Não só veículos enfrentaram filas. Pedestres relatam uma média de 1 hora de espera para chegar ao terminal. Dona Geraldina Caldas, de 57 anos, teve uma queda de pressão e acabou desmaiando na fila. Populares que a ajudaram relataram que não houve atendimento médico no terminal.

Demanda

A Internacional Travessias Salvador (ITS), administradora do sistema ferry-boat, informou ser “comum” o aumento do número de pessoas utilizando o serviço em feriados prolongados e que, por isso, um esquema é preparado para atender à demanda da população.

De acordo com a Internacional, seis ferry-boats operaram normalmente durante todo o dia, no entanto, por volta das 19h uma falha elétrica no Ana Nery fez com que este fosse substituído pelo Dorival Caymmi.

A ITS informou que espera que cerca de 21 mil veículos utilizem o serviço durante o feriado, além de 143 mil pedestres. Até o fechamento desta edição ainda não era possível precisar o número de pessoas que utilizaram o serviço no dia de ontem.

A administradora do sistema ressaltou, ainda, que em períodos de feriado, uma parceria com órgãos de ordenamento como SAMU, Transalvador e Polícia Militar (PM) são feitas. A reportagem de A TARDE apurou a presença de viaturas da polícia militar no local, mas não constatou ambulâncias do SAMU.

De acordo com a Agerba, além dos 540 horários regulares ofertados diariamente, 170 horários extras foram gerados para atender a demanda do feriado. De acordo com a agência, há uma expectativa de 20 mil pessoas utilizarem o terminal para deixar a capital.

*Sob a supervisão da jornalista Regina Bochicchio

Publicações relacionadas