adblock ativo

Laudo particular diz que carro de médica não bateu em moto

Publicado terça-feira, 10 de dezembro de 2013 às 21:53 h | Atualizado em 10/12/2013, 21:53 | Autor: Da Redação
Médica Kátia Alves Pereira deixa hospital
Médica Kátia Alves Pereira deixa hospital -
adblock ativo

O laudo feito pelo perito Ricardo Molina, contratado pela família da médica Kátia Vargas, suspeita de ter provocado a batida que matou Emanuel e Emanuele Gomes Dias, indica que o carro da oftalmologista não atingiu a moto dos irmãos no bairro de Ondina, na Orla de Salvador, no dia 11 de outubro. O resultado do laudo, que tem 44 páginas escritas, foi divulgado e entregue à defesa da médica nesta terça-feira, 10.

O advogado da oftalmologista, Sérgio Habib, disse, em entrevista ao Portal A TARDE, que não há provas que comprovem que o carro da médica provocou a batida. "O laudo, que analisou as perícias feitas no carro, na moto e nos vídeos, diz categoricamente que não houve, em momento algum, a batida do carro na moto", afirma. "Também foi analisado se tinha resíduos de tinta do carro na moto ou da moto no carro e nada foi evidenciado", disse o advogado.

De acordo com o advogado de defesa, o acidente pode ter acontecido porque Emanuel, que pilotava a moto, poderia ter se desequilibrado no veículo, antes de se chocar com o poste. "Molina diz que ele [Emanuel] vinha na frente. Ele gesticulou pra ela [a médica] por ter tomado a fechada. É possível que a mão dele tenha se soltado do guidom e que ele tenha se desequilibrado", disse.

Também com base no resultado da perícia, Habib disse que as testemunhas de acusação não falam a verdade ao afirmarem que a médica provocou a batida. "Não tem nenhuma comprovação científica que mostre que houve o choque do carro com a motocicleta. Não tem sinal de batida na moto".

Segundo Habib, a defesa já juntou o laudo do processo e se prepara, agora, para o interrogatório da médica, que deve acontecer nesta quinta, 12.

O perito Ricardo Molina avaliou o carro da médica, a moto dos irmãos e o local do acidente no dia 20 de novembro, quando foi realizada a primeira audiência de instrução do caso. Na ocasião, testemunhas de defesa e de acusação foram ouvidas na 1ª Vara do Júri, em Sussuarana.

A reportagem tentou entrar em contato com o advogado da família dos irmãos, Daniel Keller, mas não obteve êxito.

Laudo

No último dia 28 de novembro, o Departamento de Polícia Técnica (DPT) apresentou laudo da perícia do acidente que apontou que o carro da médica Kátia Vargas atingiu a motocicleta em que os irmãos estavam.

A colisão, conforme o documento, levou a moto a se chocar com o poste de iluminação. O laudo também constatou que o corpo do motociclista se chocou com o carro.

O caso

Segundo o inquérito policial da 7ª Delegacia de Polícia, no último dia 11, a médica arremessou o veículo que dirigia contra a moto pilotada por Emanuel, que trazia a irmã Emanuele na garupa. 

De acordo com testemunhas, Emanuel tinha discutido momentos antes com a oftalmologista após ser fechado pelo veículo dela. Após serem atingidos, os irmãos foram projetados contra um poste. Com o impacto, eles morreram na hora. A médica se chocou com a grade de proteção de um hotel e foi levada para o Hospital Aliança.

Ela só saiu da unidade médica quase uma semana depois do acidente. Uma perícia feita pelo DPT sobre o estado de saúde de Kátia apontou que não havia necessidade de a médica continuar internada. A oftalmologista foi direto para a penitenciária feminina, em Mata Escura.

A médica foi denunciada à Justiça pelo Ministério Público da Bahia e, desde então, responde pelos crimes de duplo homicídio qualificado, impossibilidade de defesa e perigo comum.

A promotora de Justiça Armênia Cristina Santos, que fez a denúncia, também pediu a reconstituição do crime - o que ainda não aconteceu. Para o Ministério Público, as imagens das câmeras de segurança instaladas no local que flagraram o momento da batida não mostram o ocorrido de forma completa.

Veja vídeo que mostra a perseguição do carro da médica à motocicleta:

adblock ativo

Publicações relacionadas