Para aumentar PIB, Salvador enfoca em empreendedorismo negro

Segundo o prefeito, empreendedores negros podem ser responsáveis por potencializar distribuição de renda

Publicado segunda-feira, 17 de janeiro de 2022 às 10:30 h | Atualizado em 17/01/2022, 11:00 | Autor: Da Redação

Em evento para certificar cem empreendedores do projeto AfroEstima Salvador, na manhã desta segunda-feira, 17, no Teatro Gregório de Mattos, o prefeito Bruno Reis (DEM) defendeu a iniciativa como forma de potencializar o fato de que a capital baiana é a cidade com maior população negra fora da África. A ideia do projeto é aumentar o Produto Interno Bruto (PIB) com o empreendedorismo negro. “Sabemos que vivemos em uma cidade muito pobre. O melhor programa social de qualquer governo é crescimento econômico, é programa de distribuição de renda”, alegou o prefeito.

Presente no evento, o representante da Oxfam Brasil (Comitê de Oxford para Alívio da Fome), Helio de Souza Santos, elogiou a iniciativa da prefeitura e enxerga que a capital baiana está à altura de algumas das cidades mais turísticas do mundo. “Salvador não deve nem a Milão, nem a Barcelona”.

O AfroEstima Salvador visa a capacitação e a mentoria para afroempreendedores da cidade, que nesta segunda-feira, 17, receberam certificados de conclusão das atividades e cursos oferecidos no primeiro ciclo da iniciativa. 

Para alcançar os índices econômicos almejados pela prefeitura, o projeto visa fortalecer a atividade do turismo sustentável, com ênfase na cultura local e na população negra. As capacitações envolveram 13 disciplinas, entre elas marketing digital, gestão de negócios e empreendedorismo, além de temas como cultura afro-brasileira e da diáspora. 

O público-alvo é formado por baianas, turbanteiras, capoeiristas, artistas, designers, feirantes e ambulantes, entre outros relacionados à cadeia do turismo étnico-afro.

Publicações relacionadas