Piso de mirante em praia desaba e deixa salva-vidas ferido

Profissionais reclamam de falta de manutenção em estruturas usadas durante o trabalho nas praias

Publicado terça-feira, 22 de março de 2022 às 17:11 h | Atualizado em 22/03/2022, 17:36 | Autor: Bianca Carneiro
O posto de trabalho dos salva-vidas tem aproximadamente 1,60m de altura
O posto de trabalho dos salva-vidas tem aproximadamente 1,60m de altura -

Um mirante localizado na Praia do Corsário, em Salvador, desabou no início da tarde desta terça-feira, 22. Dois salva-vidas estavam dentro da estrutura no momento da queda, e um deles sofreu ferimentos leves.

Em entrevista ao Portal A TARDE, o salva-vidas Raphael Colaço, que se machucou, contou que o acidente ocorreu por volta das 12h. O posto de trabalho tem aproximadamente 1,60m de altura.

“Do nada, o piso cedeu. O colega caiu e eu caí em seguida. Foi como uma gangorra, primeiro caiu a parte dele, e depois a minha. Eu feri o pé, não de modo grave, na parte do calcanhar. Tentei me segurar como pude e arranhei o braço, também estou sentindo uma dorzinha no trapézio, acho que da tensão de me apoiar”, explicou ele. 

Raphael diz que, felizmente, não havia nenhum banhista próximo ao mirante no momento do incidente. “Do jeito que caiu, o peso da gente, o calibre das madeiras, certamente causaria um acidente pior para quem estivesse embaixo”, afirma.

Após o episódio, o salva-vidas relata que não se sente seguro para subir em outras estruturas do tipo devido à precariedade já vista também em outras unidades. “O pior trauma é o susto porque fomos pegos de surpresa, por mais que a gente esteja preparado no físico, o psicológico fica tenso e abalado”, disse o salva-vidas. “A gente não se machucou gravemente porque temos, de certa forma, um condicionamento, um certo preparo físico, mas é um trauma, vai dar um receio subir em outro posto desses para trabalhar. Esse nosso não estava nem tão grave, tem outros piores”, lamenta.

Ao Portal A TARDE, Pedro Barreto, diretor da Associação Baiana de Salvamento Aquático (Abasa), afirmou que a queda do mirante foi um acidente anunciado, já que a falta de manutenção deste e de outros postos de trabalho na orla já foram denunciadas ao Ministério Público do Trabalho.

Em documento divulgado por ele e endereçado à Procuradoria Regional do Trabalho da 5ª Região, a categoria pediu a reforma dos mirantes, incluindo a cobertura de cada estrutura e proteção capazes de evitar a ocorrência de acidentes por eventual queda. Os profissionais reclamam também que os postos elevados de madeira têm espaço interno inadequado e que não contemplam banheiros. 

Categoria reclama de falta de manutenção nos mirantes
Categoria reclama de falta de manutenção nos mirantes |  Foto: Arquivo pessoal | Pedro Barreto
  

Procurada pela equipe de reportagem, a coordenação do Salvamar lamentou o incidente e disse que já foi "devidamente sanado". O órgão informou ainda que os postos elevados estão sendo reconstruídos.

"Todos os postos da Salvamar estão sendo reconstruídos e, até o próximo verão, teremos toda a orla da cidade com um modal novo de estrutura para os salva-vidas realizarem as suas atividades, ofertando muito mais segurança à nossa população, bem como tendo um local muito mais confortável para as suas acomodações laborais", informou Alysson Carvalho, coordenador da Salvamar.

Segundo ele, o primeiro mirante que será entregue é o da praia de Stella Maris, junto com uma obra que está sendo realizada na praça do bairro.

Publicações relacionadas