Plano voltado para o fomento do turismo étnico é lançado em Salvador

Publicado sexta-feira, 29 de novembro de 2019 às 11:39 h | Atualizado em 29/11/2019, 11:46 | Autor: Jaqueline Suzarte e Shagaly Ferreira

O Plano de Ação do Turismo Étnico-Afro de Salvador foi lançado na manhã desta sexta-feira, 29, pelo prefeito ACM Neto, o vice-prefeito Bruno Reis, o secretário de cultura e turismo Cláudio Tinoco e a secretária de reparação Ivete Sacramento. O evento ocorreu no Teatro Gregório de Mattos, na Praça Castro Alves.

Fruto de nove meses de trabalho do Consórcio Cria Rumo-Arandas, com a orientação técnica das secretarias de Cultura e Turismo (Secult) e de Reparação (Semur), o projeto terá o investimento de R$ 13,5 milhões, com recursos do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Prodetur.

“Não podíamos fazer só das nossas experiências. Fomos ouvir pessoas, que já trabalham com turismo. A partir das somas das contribuições é que fizemos o plano. A gente está deixando um legado. Esta consciência tem que ser de toda sociedade. Na prática nós já começamos. Nós temos que disputar com o mundo para ser o maior turismo étnico-afro. Transformar Salvador em um dos principais destinos étnicos-religiosos”, explicou ACM Neto.

O objetivo do projeto é fomentar a cadeia que realiza o turismo étnico-afro em Salvador, oferecendo capacitação, qualificação, articulação de rodadas de negócios e projeção da cidade aos principais mercados nacionais e internacionais. Ao todo, para a elaboração do projeto, foram consultadas 510 pessoas, dentre atores do turismo étnico-afro.

“Pela primeira vez, temos uma empreitada em que uma cidade como Salvador não poderia jamais perder esse norte, porque nós aqui somos a África Brasileira, e me incomodava por demais o fato de não ter, nos governos anteriores, uma proposta de trabalho pra que a gente possa realmente alavancar nossa cultura, mostrando a todo mundo o que é que Salvador tem”, comemorou a designer de moda Maria Auxiliadora, que participou da elaboração do projeto.

Emocionada, Ivete Sacramento comemorou a iniciativa. “Hoje é um dia que eu não queria falar. Meu coração está doendo, não sei se é de emoção. Quero agradecer a comunidade negra por ter feito este projeto”, concluiu.

Publicações relacionadas