adblock ativo

Vans e mini-ônibus serão incluídos na bilhetagem eletrônica

Publicado terça-feira, 03 de julho de 2007 às 19:55 h | Atualizado em 03/07/2007, 19:55 | Autor: Mariana Mendes e Marta Erhardt*, do A Tarde On Line
adblock ativo

Após uma carreata dos trabalhadores do Sistema de Transporte Complementar de Salvador (STEC), o titular da Secretaria de Transportes e Infra-estrutura de Salvador (Setin), Pedro Dantas, reuniu-se com os permissionários e garantiu a inclusão das vans e mini-ônibus no sistema de bilhetagem eletrônica. A carreata causou transtornos ao tráfego em vários pontos da capital, nesta terça-feira, 3.


Os manifestantes reivindicavam que o STEC seja incluído no sistema atualmente em funcionamento nos ônibus coletivos da capital e reclamam que foram prejudicados após a implementação do vale transporte eletrônico. Eles alegam que o sistema complementar de transporte perde clientela há quatro meses, desde que começou o processo de substituição dos vales em papel. Participaram do encontro o titular da Setin, Pedro Dantas, o superintendente da STP, Almir Melo Júnior e representantes do Subsistema de Transporte Especial e Complementar de Salvador (STEC). 
 

Segundo o permissionário Pedro Macedo, integrante da diretoria da Associação dos Transportes Especiais e Complementares de Salvador (ASTECS), o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros de Salvador (Setps), detetor do direito de exploração do Salvador Card, não aceita o transporte complementar. Ele informou que, apesar de garantir a inclusão no sistema, o secretário não determinou uma data e deve marcar reuniões com o Setps para ajustar os termos da adesão. Até lá, os trabalhadores do sistema complementar se comprometeram a não fazer novas novas manifestações e aguardar uma resolução para o caso.


Transtornos - A manifestação dos permissionários só foi encerrada após a intervenção da Setin, que entrou em contato com os líderes do movimento e marcou a reunião para discutir o assunto. “Até fevereiro transportávamos em média 3 milhões e 200 mil pessoas por mês. De lá pra cá, cerca de 1 milhão e 700 mil passageiros deixaram de usar o transporte complementar porque não temos o sistema de bilhetagem eletrônica. A maioria dos nossos passageiros é composta por empregados, que usam o vale transporte eletrônico”, destaca o permissionário Pedro Macedo.

A carreata saiu do bairro de Paripe, no Subúrbio Ferroviário, no início da manhã e, a partir das 9 horas, já afetava o trânsito na região da Calçado, onde foram registrados engarrafamentos e lentidão na circulação de veículos. Às 11 horas, o grupo de manifestantes se concentrou na Avenida Bonocô, onde os transtornos se intensificaram. Cerca de 300 veículos ocuparam as vias, em baixa velocidade, o que resultou em um grande engarrafamento na região, segundo informações da Superintendência de Engenharia de Tráfego (SET).

Problemas no trânsito também foram registrados na Rótula do Abacaxi, Avenida Barros Reis e Retiro. Nas proximidades do Iguatemi, o movimento dos veículos só voltou ao normal no início da tarde, quando os manifestantes encerraram a carreata, por volta das 13 horas.

*Colaborou Clarissa Borges

adblock ativo

Publicações relacionadas