Carnaval: Coren-BA defende cancelamento em 2022 devido à Covid-19

Publicado segunda-feira, 29 de novembro de 2021 às 14:08 h | Atualizado em 29/11/2021, 14:11 | Autor: Mariana Gomes

O Conselho Regional de Enfermagem da Bahia (Coren-BA) é mais uma das entidades de saúde que se posicionam contra a realização do carnaval baiano em 2022. "O Carnaval na Bahia, principalmente em Salvador, é tradicionalmente uma festa de rua, que aglomera milhares de pessoas em ambientes sem controle de fluxo e sem distanciamento social, condição extremamente propícia para aumento da transmissão comunitária da Covid-19", diz a carta aberta da instituição.

O posicionamento baseia-se em dados da Secretaria de Saúde da Bahia (Sesab) e recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS). De acordo com o boletim epidemiológico da Sesab, existem em média 3 mil casos ativos da Covid-19 no estado. No momento, somente 54.7 % da população baiana está com o esquema primário de vacinação completo.

O conselho também reforça a importância de a população continuar com as medidas de segurança sanitária, como distanciamento, uso de máscaras, higienização das mãos e evitar aglomerações. "O Coren-BA também alerta que a imunização reduz as hospitalizações, porém não interrompe a transmissão", pontuou em nota.

Os enfermeiros ainda reiteram as medidas contra a Covid-19 nas festas de fim de ano. "Cuidado redobrado nas datas comemorativas de final de ano, a exemplo do natal e réveillon", defende a categoria.

Na última terça-feira, 23, o Sindicato dos Médicos da Bahia posicionou-se contra a realização do Carnaval no estado. Hoje, 29, o prefeito de Salvador, Bruno Reis (DEM) anunciou o cancelamento do Festival da Virada, evento de Réveillon da capital baiana. O governador Rui Costa (PT) permanece irredutível quando à realização da festa momesca no próximo ano.

Publicações relacionadas