adblock ativo

Embarque de turistas lesados por empresa termina em confusão

Publicado sexta-feira, 02 de janeiro de 2009 às 18:32 h | Atualizado em 02/01/2009, 18:32 | Autor: Mário Bittencourt | SUCURSAL EUNÁPOLIS
adblock ativo

O embarque, na manhã desta sexta-feira, 2, dos turistas brasilienses lesados pela Impacto Turismo LTDA , que estavam hospedados no Hotel Solar das Orquídeas, em Arraial D’Ajuda, distrito de Porto Seguro (a 709 km de Salvador), foi tumultuado e houve necessidade de a Polícia Militar (PM) ser acionada.



Os problemas começaram por volta das 9h30, quando um grupo de 56 turistas, composto apenas por jovens, teve de deixar o hotel onde estava hospedado. Um ônibus da empresa Rápido Gira Sol deveria partir com eles para Brasília, mas o guia Marcelo de Oliveira Jordão, que presta serviço para a Impacto Turismo, dizia só poder levar 15 pessoas.



Muitos turistas que tinham colocado a bagagem no ônibus tiveram de retirá-las. Segundo informou o publicitário Pedro Gabriel Dias Melo, 21, o transporte já estava saindo, quando Marcelo teria entrado para impedir que o veículo partisse, já que a viagem só seria permitida com os passageiros que estavam em uma lista de embarque.



A estudante Celina Amaral de Alencar, 17, que pagou R$ 1,3 mil num pacote que incluía transporte e hospedagem, estava desesperada por não saber se iria embarcar. “Já passamos por tudo aqui. Desde que chegamos, só é confusão. Foi o pior Réveillon da minha vida. Todo mundo aqui quer ir logo embora”, disse.



Nem a chegada da PM fez com que o problema fosse contornado. Enquanto os policiais diziam que as demais pessoas tinham de embarcar no ônibus, já que este tem capacidade para 53 passageiros e estava indo apenas com 15, Marcelo relutava em afirmar que não tinha permissão e que os turistas que não embarcassem ficariam em outro hotel.



FALSA GARANTIA – O soldado PM Cristiano Dias, que tentava resolver a situação, disse que o guia Marcelo tinha afirmado que os jovens não queriam embarcar e que já estava garantido o hotel. “Só que eu perguntei aos turistas e eles disseram que não sabiam de hotel algum”, contou o soldado.



Para garantir que o ônibus saísse com a lotação completa – 53 passageiros –, o PM teve de pedir autorização à Delegacia de Proteção ao Turista (Deltur), onde mais de 200 brasilienses deram queixa do golpe da Impacto, e a Polícia Rodoviária Federal (PRF). O ônibus saiu de Arraial D’Ajuda por volta das 14h.



A incerteza de se teria onde passar o resto do dia e a noite pairava nos três turistas que ficaram. “Eu estava em um hotel em que foi feito um remanejamento. Primeiro fiquei num quarto com cinco pessoas e depois fui para outro com mais três. Não sei se teremos onde ficar”, disse o estudante Marcelo França, um dos que ficaram.



O guia Marcelo informou que ainda faltam cerca de 300 turistas irem embora, o que deverá acontecer amanhã. Ele informou que o transporte ocorrerá em sete ônibus. Em relação ao dinheiro das treze pousadas onde estavam os cerca de 400 turistas brasilienses, ele disse que ainda falta quitar a dívida de mais oito estabelecimentos.



MAIS CONFUSÃO – A delegada titular da Deltur, Teronite Bezerra, disse que provavelmente terá confusão neste sábado, 3, na saída dos turistas que ficaram, pois os donos das pousadas e hotéis querem receber o dinheiro que não foi pago ainda. “Eu vou acompanhar de perto as saída desses turistas amanhã”, afirmou.



Os cerca de 400 turistas brasilienses lesados pela Impacto Turismo – a estimativa do golpe é de cerca de R$ 200 mil – tentarão reaver em Brasília os valores que eles pagaram nos pacotes que incluíam transporte, hospedagem e o ingresso para o Réveillon em uma casa de shows à beira mar.



O valor dos pacotes variava de R$ 1,3 a R$ 1,6. Mesmo tendo pago adiantado os valores, a Impacto, cujos donos são Marcos Tiago Pereira, 37, e Rafael Oliveira de Carvalho, 21, deu apenas o transporte. Marcos Tiago é reincidente no golpe – ano passado ele lesou 52 turistas. Rafael, que seria um “laranja”, está fugido.

adblock ativo

Publicações relacionadas