adblock ativo

Estelionatário aplicava golpe do emprego em L. de Freitas

Publicado quinta-feira, 05 de setembro de 2013 às 18:23 h | Atualizado em 05/09/2013, 19:00 | Autor: Da Redação
Estelionatário aplicava golpe do emprego em L. de Freitas
Estelionatário aplicava golpe do emprego em L. de Freitas -
adblock ativo

O estelionatário João Fernando Gomes de Souza, de 33 anos, que aplicava o chamado "golpe do emprego" na cidade de Lauro de Freitas, na Região Metropolitana de Salvador, foi preso e apresentado pela polícia nesta quinta-feira, 5. Ele, que já foi condenado por crime de estelionato pela Justiça de Sergipe, foi capturado na quarta, 4.

Conforme a Polícia Civil, João chegou a lesar mais de 15 pessoas nas últimas semanas. Segundo os investigadores, João prometia às vítimas conseguir emprego em grandes empresas, como a Petrobras, mediante o pagamento de uma taxa de inscrição fictícia, cujo depósito deveria ser feito em uma conta bancária indicada por ele. Depois de sacar o dinheiro, o estelionatário desaparecia.

Várias vítimas compareceram à 23ª Delegacia (DT/Lauro de Freitas) e reconheceram João, cuja prisão preventiva foi decretada pela Vara Crime do município. O delegado titular, Joélson Reis, o indiciou em inquérito policial por estelionato e já informou à Justiça sergipana sobre a captura do criminoso, que cumpria pena no estado em regime semiaberto.

Golpe

Segundo a polícia, uma das mais recentes vítimas do golpista foi uma funcionária de um supermercado, lesada em R$ 1 mil. Abordada por João Fernando no trabalho, no final de agosto, a mulher se interessou por uma suposta oferta de emprego na Petrobras. Após fornecer dados pessoais, a vítima foi convencida a depositar R$ 700 numa conta bancária e repassar mais R$ 300, no dia seguinte.

Segundo a polícia, depois de aguardar uma semana para ser encaminhada à sede da empresa, como prometera o suposto agenciador, a vítima entrou novamente em contato com ele, que afirmou ter adiado o compromisso.

Desconfiada, a mulher registrou uma queixa contra João, que já havia sido denunciado por outras vítimas do golpe.

adblock ativo

Publicações relacionadas