adblock ativo

Ibama encerra Operação Veredas com embargo de quase 58 mil hectares

Publicado quarta-feira, 19 de novembro de 2008 às 17:21 h | Atualizado em 19/11/2008, 19:56 | Autor: Miriam Hermes, da sucursal Barreiras
adblock ativo

A primeira fase da Operação Veredas foi encerrada hoje pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e de Recursos Naturais Renováveis (Ibama) com um total de 73 autos de infração e termos de interdição, R$ 33,7 milhões em multas emitidas e o embargo de 57.900 hectares de terra, o equivalente a cerca de 57 mil campos de futebol.



Segundo o coordenador da Operação, Alberto Gonçalves, a maior parte das infrações esteve ligada a desmatamento sem autorização. De acordo com o coordenador do Ibama em Barreiras, Zenildo Eduardo, a operação foi considerada a maior do bioma cerrado este ano no Brasil e deve ter continuidade, mas em data ainda não divulgada.



Contando com 40 agentes do Ibama da Bahia e diversos outros estados, a operação teve início dia 20 de outubro. Desde então, foram fiscalizados os municípios de Barreiras, Santa Rita de Cássia, Riachão das Neves, São Desidério, Luís Eduardo Magalhães e Formosa do Rio Preto, este último, o campeão no número de multas aplicadas.



Apesar da primeira fase da operação ter sido encerrada nesta quarta, os agentes do Ibama continuam trabalhando, agora na elaboração dos relatórios, inclusive com abertura de processos administrativos. “Nós vamos pedir prioridade para o atendimento a estes processos, pois a sociedade merece uma resposta imediata”, destacou o coordenador do Núcleo de Fiscalização da Superintendência do Ibama na Bahia, Alberto Gonçalves.



Gonçalves diz ainda que a situação ambiental do cerrado preocupa, “pois se aconselha tecnicamente deixar as reservas legais concentradas, mas o que se vê é sua fragmentação das, quando existem”. Ele salientou que o mais grave é a existência de áreas 100% desmatadas.



“Outra preocupação diz respeito aos recursos hídricos, pois a região é um berçário de grandes afluentes do São Francisco. Pudemos observar nestes dias a degradação de nascentes, desvios dos cursos d’água e captação de água para irrigação sem outorga do estado, além da falta de licenciamento ambiental”, enfatizou.



Na operação, foram destruídos mais de 330 fornos de carvoarias irregulares, apreendidos quatro caminhões carregados de carvão irregular, interditados dois silos de armazenamento de grãos e dois geradores. Foram apreendidas ainda 23 máquinas agrícolas, quatro tratores em carvoaria e oito motoserras.

adblock ativo

Publicações relacionadas