Novo Prodetur prevê atrair investimentos da iniciativa privada no Litoral Norte

Publicado quarta-feira, 16 de junho de 2021 às 20:27 h | Atualizado em 17/06/2021, 08:24 | Autor: Rodrigo Tardio

O próximo Prodetur, 'Programa de Desenvolvimento do Turismo - Nacional Bahia', volta as atenções para a região do Litoral Norte da Bahia, onde visa atrair investimentos de mais de R$ 1 bilhão de reais. A região tem sido explorada pela iniciativa privada, o que desperta o poder público, por intermédio da secretaria de Turismo do Estado da Bahia (Setur), a fomentar novos investimentos no segmento.

Em visita ao grupo A TARDE, o secretário de Turismo do Estado, Mauricio Bacelar, recebido pelo diretor de Relações Institucionais, Luciano Leves, explicou que a região tem crescido com "forte potencial", o que precisa ser incentivado.

"Empreendimentos estão sendo construídos e a construção do aeroporto na região do Conde é uma realidade. O turista quer descer do aeroporto e chegar ao destino, sem precisar se deslocar por malha viária por muito tempo", afirmou o secretário.

BTS

O Prodetur na zona turística da Baía de Todos-os-Santos (BTS) já apresenta melhoras na infraestrutura dos atracadouros e terminais turísticos, como também promover o crescimento náutico. Além desses objetivos, as obras que estão sendo realizadas após a execução do programa vão contribuir também para desenvolver as potencialidades das localidades próximas.

Três bases náuticas estão sendo recuperadas, como a Marina de Itaparica, em Itaparica; Cacha Pregos, em Vera Cruz; e Salinas da Margarida, além da Marina da Penha, em Salvador.

Os terminais na localidade de Botelho, em Ilha de Maré, o Porto do Caijá e três atracadouros também estão sendo recuperados. O projeto contempla ainda o Museu Wanderley Pinho, que está sendo restaurado.

Mapa Turístico

Um dos instrumentos de ajuda ao Prodetur é o Mapa do Turismo Brasileiro, que é o instrumento de definição do recorte territorial para atuação e desenvolvimento das políticas públicas para o turismo, além de orientar o ordenamento, que auxilia o governo federal, regiões e municípios a atuarem de forma cooperada.

Com foco nesses territórios estabelecidos é possível preparar e consolidar novos destinos turísticos aumentando dessa forma a qualidade do produto turístico e consequentemente a competitividade em relação a concorrência.

O mapa representa ainda informações de componentes associativos, ou seja, as informações turísticas do município que se subdividem em atrativos turísticos naturais, atrativos históricos, manifestações populares, equipamentos e serviços de infraestrutura de apoio.

O mapa é atualizado bienalmente e reconhecido pelo Tribunal de Contas da União (TCU), além da Comissão de Desenvolvimento Regional e Turismo do Senado como boa prática de gestão no setor público, considerando que é uma ferramenta que busca convergência entre as políticas prioritárias no turismo.

Publicações relacionadas