Suspeitos de assalto a bancos são presos após fazerem garoto autista de refém

Publicado sexta-feira, 01 de janeiro de 2021 às 09:53 h | Atualizado em 01/01/2021, 10:10 | Autor: Da Redação

Um garoto autista, de 11 anos, foi feito refém por dois homens que estavam fugindo da polícia, na manhã desta sexta-feira, 1º, na cidade de Lauro de Freitas, região metropolitana de Salvador (RMS). Segundo a Polícia Federal (PF), no total três foram presos, eles são investigados por assaltos a instituições bancáriasde Salvador.

O caso aconteceu no bairro de Vilas de Atlântico, em uma casa na praia. Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), o grupo comemorava o réveillon com mais nove mulheres.

Ainda conforme a SSP, equipes do Departamento de Repressão e Combate ao Crime Organizado (Draco), da Coordenação de Operações Especiais (COE), da 52a CIPM e da PF cercaram o imóvel, em Vilas do Atlântico, e iniciaram o processo para cumprimento de prisões.

Na entrada, dois criminosos pularam para uma casa ao lado e fizeram uma criança de refém. Investigadores da COE iniciaram o processo de negociação e os assaltantes acabaram se rendendo. O garoto não teve ferimentos.

Uma quantia em dinheiro, com sinais de ter sido objeto dos roubos, foi apreendida e será contabilizada polícia. As guarnições encontraram também porções de maconha e farta quantidade de bebida alcoólica.

Conforme a PF, os investigados compõem o grupo criminoso responsável pelos recentes ataques a instituições  bancárias na capital  baiana, que atuava durante as madrugadas mediante rompimento de obstáculos (arrombamento), inclusive por meio da utilização de explosivos para destruição de proteções físicas (cofres), para acesso aos dispositivos de armazenamento de dinheiro de terminais de autoatendimento.

Conforme apurado durante as investigações, que contaram também com o apoio das  Polícias Civis de Sergipe e de  Alagoas, os  presos  teriam  participado deassaltos a diversas  agências bancárias, inclusive aquelas agências da CEF localizadas nos bairros Castelo Branco, Fazenda Grande do Retiro e Porto Seco Pirajá.

Segundo a PF, outros integrantes do grupo criminoso já haviam sido presos em ações anteriores da  polícia, assim como  apreendidas diversas armas  utilizadas nos assaltos. A investigação prosseguirá com o objetivo de dentificar e prender os demais participantes autores dos crimes.

Autuados

Quatro dos seis integrantes do grupo foram autuados, após serem detidos por equipes da Secretaria da Segurança Pública e da Polícia Federal. 

De acordo com a SSP, entre os seis presos, dois possuíam mandados de prisão por roubos contra instituições financeiras, um deles foi flagranteado por tráfico de drogas, pois estava com porções de maconha, e um por cárcere privado.

"Atuamos sempre em parceria com a PF e esse trabalho continua. Sabemos que existem outros integrantes nesta organização criminosa e seguiremos firmes até retirarmos eles das ruas", disse o diretor do Draco, delegado Marcelo Sansão.

Publicações relacionadas