BH investiga se brasileira não vacinada contraiu variante ômicron no Congo

Publicado terça-feira, 30 de novembro de 2021 às 11:25 h | Atualizado em 30/11/2021, 11:26 | Autor: Da Redação

Uma mulher de 33 anos, que testou positivo para Covid-19 após voltar de uma viagem do Congo está sendo monitorada pela Secretaria Municipal de Saúde de Belo Horizonte (SMSA) e pela SES-MG. A SMSA informou que a paciente não se vacinou contra a Covid-19 e foi ao país africano após fazer um teste e ter diagnóstico negativo para a doença.

De acordo com informações do G1, a A paciente deixou o Congo, na África, no dia 17 de novembro, passou pela Turquia, desembarcou em São Paulo no dia 20 e, na mesma data, chegou à capital mineira. O Congo não está entre os países africanos com restrição de viagem para o Brasil.

Ela começou a ter sintomas de Covid-19 no dia 22 de novembro e procurou atendimento na Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) do Hospital Odilon Behrens no último domingo, 28.A paciente foi internada em leito de isolamento e encaminhada para o Hospital Eduardo de Menezes.

De acordo com a SES-MG, um teste PCR da paciente foi solicitado para viabilizar a realização do sequenciamento genético e identificação da cepa do coronavírus. O material coletado será encaminhado à Fundação Ezequiel Dias (Funed). Não foi informado uma data para a conclusão do sequenciamento.

Até o momento, o Brasil ainda não conta com casos positivos de Covid-19 causados pela variante ômicron, classificada como de 'risco elevado' pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Um possível outro caso em São Paulo corre risco de não ser identificado por causa da baixa carga viral do paciente. O Ministério da Saúde já foi notificado sobre o caso em Belo Horizonte.

Publicações relacionadas