Caso Carrefour: acordo é suspenso após redução de R$ 5 milhões do valor

Publicado sexta-feira, 11 de junho de 2021 às 11:40 h | Atualizado em 11/06/2021, 11:52 | Autor: Redação

O Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) que seria assinado pela rede de hipermercados Carrefour como contrapartida após o assassinato de João Alberto Freitas, espancado em uma das unidades da rede, empacou devido a alterações em cláusulas do contrato.

O acordo prévio, que destinaria R$ 120 milhões ao longo de anos para a Educafro, o Centro Santo Dias de Direitos Humanos da Arquidiocese de São Paulo e órgãos públicos, foi suspenso após haver uma redução de R$ 5 milhões no valor final.

Além disso, de acordo com a Educafro e o Centro Santo Dias, o Carrefour se recusou a pagar os honorários dos advogados das organizações sociais.

Em nota, a assessoria de imprensa do Carrefour informou que a redução para R$ 115 milhões foi um ajuste natural decidido por todas as partes e que o acordo não previa o pagamento dos honorários dos advogados dos movimentos sociais.

Publicações relacionadas