Caso Marielle: justiça do Rio quebra sigilos de Ronnie Lessa e Élcio Queiroz

Publicado quarta-feira, 04 de março de 2020 às 09:29 h | Atualizado em 04/03/2020, 09:37 | Autor: Da Redação

Ronnie Lessa e Élcio Queiroz, presos e acusados pelos assassinatos da vereadora Marielle Franco (PSOL) e do motorista Anderson Gomes, em março de 2018, tiveram os sigilos fiscal e bancário quebrados pela Justiça do Rio de Janeiro. A polícia ainda tenta descobrir os possíveis mandantes do crime.

O Judiciário também determinou o sequestro de bens de Ronnie, como imóveis e uma lancha, e a quebra dos sigilos de outras cinco pessoas suspeitas de atuar como ‘laranjas’ dos ex-PMs. A Polícia Civil acredita que o patrimônio de Lessa, encontrado durante as investigações, é incompatível com a renda de um PM reformado.

Há suspeitas, baseadas na movimentação financeira avaliada, de que o dinheiro possa ser fruto de atividades ilícitas, como comércio ilegal de armas de fogo. O PM reformado e o ex-PM estão presos na penitenciária de segurança máxima de Porto Velho (RO).

Publicações relacionadas