Senado pede transparência ao Ministério da Saúde sobre estoque de oxigênio e remédios

Publicado segunda-feira, 22 de março de 2021 às 13:56 h | Atualizado em 22/03/2021, 14:05 | Autor: Da Redação

O Senado Federal aprovou, nesta segunda-feira, 22, um requerimento cobrando que o novo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, forneça informações atualizadas sobre o estoque de medicamentos e oxigênio usados por pacientes da Covid-19 que precisam de internação.

A aprovação do requerimento ocorre em meio ao risco do país de ficar desabastecido de insumos essenciais no tratamento dos infectados graves. A manifestação é de autoria da senadora Zenaide Maia (Pros-RN).

O requerimento foi aprovado durante reunião remota da Comissão Temporária Covid-19 formada pelos parlamentares para monitorar o combate à pandemia do novo coronavírus no Brasil.

Ainda no encontro, os senadores aprovaram a convocação de servidores e representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e da Diretoria do Departamento de Imunização e Doenças Transmissíveis do Ministério da Saúde para participarem de audiência pública.

Nesta terça, 23, o plenário da Casa promoverá uma sessão de debate com representantes de instituições e empresas sobre o fornecimento de vacinas e oxigênio no Brasil. A sessão está marcada para começar às 16h.

O governo federal vai realizar, segunda, 22, e terça-feira, 23, reuniões com representantes das indústrias de medicamentos para buscar soluções sobre a crise da escassez do chamado kit intubação.

Com o agravamento da pandemia de Covid-19, o país vive o “maior colapso sanitário e hospitalar da história”, segundo avaliação da Fiocruz. Faltam leitos de UTI e medicamentos para intubação de pacientes com a doença.

Em nota, a Secretaria Especial de Comunicação (Secom) e o Ministério da Saúde informaram que os encontros com as indústrias de medicamentos foram marcados “para alerta e pedido de auxílio efetivo nas soluções emergenciais elaboradas com o intuito de salvar vidas”.

Durante o fim de semana, o governo federal adotou estratégias para evitar o desabastecimento, como requisição dos estoques excedentes das indústrias, aquisições internacionais via Opas e incremento da requisição de informações para harmonização de estoques e distribuição.

Publicações relacionadas