Sabemos o que fazer precisa parecer

Publicado segunda-feira, 29 de novembro de 2021 às 06:00 h | Atualizado em 28/11/2021, 20:06 | Autor: josé Luiz Tejon

O que é qualidade? Se não for percebida é igual a nada.

O que significa um agronegócio sustentável, feito com subsídios quase zero quando comparado a outras economias. Se não for percebido é igual a nada.

No Brasil temos realidades extraordinárias que ficam sufocadas sob uma péssima gestão das percepções das sociedades, do Brasil e do mundo.

Quando caminhamos pelo país, e colocamos foco no próprio Nordeste, encontramos fatos extraordinários para destacar. Por exemplo, a pesquisa genial com a palma forrageira. Uma planta que muito mais do que beber água, cria água. Um desenvolvimento de melhoramento genético espetacular, que significa uma fonte estratégica de segurança hídrica para todas as regiões tropicais do planeta. Com essa pesquisa conseguimos ter criação de animais, leite, associação de queijos artesanais, ração e alimentação humana.

Assistimos no Nordeste ao trabalho extraordinário do Sebrae, Senar, com ênfase na criação de empreendedorismo de pequenos produtores familiares, como acabei de constatar no Rio Grande do Norte, com os petiscos de Caicó, o algodão e o leite de Seridó, as ostras da Pipa, o camarão para competir com o melhor do mundo da Nova Caledônia.

Na Bahia, além dos frutos do sertão da caatinga, do cacau, das frutas do Vale do São Francisco, cafés especiais de Vitória da Conquista, madeira, e os grãos com algodão do Oeste, imagino no potencial de todos os “terroir“ da gastronomia de cada microrregião baiana.

O que nos falta? Além de polícia e justiça para punir ilegais e não permitir que o crime organizado seja confundido com agronegócio administrado, necessitamos de um planejamento estratégico do A do abacate ao Z do zebu, sem esquecer das “ostras“, como ouvi em Natal, e incluir nisso toda a oportunidade do biogás a serviço do setor. E o que mais? Não basta fazer, precisa parecer. Nos falta essa estratégia dentro da administração de marketing competente, como a conhecemos nas corporações privadas e nas boas academias do país.

As cooperativas da mesma forma são essenciais para realizar o marketing dos pequenos produtores. E das pequenas agroindústrias.

Fazer é difícil. Parecer é menos difícil se soubermos essa arte dominar. Sabemos, só falta fazer saber.

Publicações relacionadas