Caldeirão de aço - Evolução

Publicado quinta-feira, 17 de fevereiro de 2022 às 06:01 h | Atualizado em 16/02/2022, 23:05 | Autor: Leandro Silva | Jornalista | [email protected]
Rodallega conseguiu fazer mais um para a lista dele de golaços com a camisa do Bahia
Rodallega conseguiu fazer mais um para a lista dele de golaços com a camisa do Bahia -

Na semana passada, falei aqui sobre o fato de considerar que o time principal não estava conseguindo evoluir, após o quinto jogo na temporada, quando perdeu para o Barcelona. Hoje, já considero que a equipe conseguiu demonstrar evolução em uma semana. Primeiro, com a atuação que empolgou na goleada de 5 a 0 contra o Globo, depois no empate de ontem, em 1 a 1, contra o CSA. Foram duas situações bem distintas. Na primeira, contra um adversário com uma disparidade técnica muito maior, o Bahia soube se impor, resolver o jogo e encantar. Na segunda, contra uma equipe mais qualificada, o time precisou superar as adversidades no placar e no número de jogadores para conseguir pelo menos um ponto. 

Contra o Globo, o time deu uma resposta positiva com a demonstração de alguma evolução justamente antes do início de uma sequência contra adversários mais competitivos. O CSA foi o primeiro adversário no ano que está na mesma divisão que o Esquadrão, e por pouco não subiu para a primeira divisão. O próximo adversário, no sábado, será o Fortaleza, que está na Série A e na Libertadores. Na próxima quinta, será o Sampaio, que, assim como o Bahia, também está na Série B.  

O time que começou o jogo de ontem teve apenas uma mudança com relação ao time que goleou o Globo. Apenas a saída de Luiz Henrique para a entrada de Matheus Bahia. Não entendi muito bem a mudança, pois considerei Luiz Henrique como um dos destaques do confronto contra o Globo, e continuo apontando o lateral como o novo contratado que mais vem me agradando nesse início de trabalho. Nada contra a utilização de Matheus Bahia, entretanto, que considero ter feito uma boa temporada de 2021 e que pode lutar por um espaço no time.  

Ao contrário das primeiras derrotas no ano, quando o número de chances criadas era citado, mas não convencia a ninguém de que a equipe tinha conseguido atuar bem, ontem o time conseguiu realmente envolver o CSA em jogadas bem tramadas que ficaram a um detalhe de virar gol. O problema é que, além de sofrer o gol em jogada aérea, o time jogou quase todo o segundo tempo com um jogador a menos após a expulsão de Luiz Otávio. Felizmente, Rodallega conseguiu fazer mais um para a lista dele de golaços com a camisa do Bahia, acertando de longe no ângulo.  

Além da expulsão, o time terminou a partida com jogadores apresentando problemas físicos e, não fosse por não haver mais substituições, certamente seriam substituídos. Se na semana passada, desabafei aqui sobre a falta de entrega, as adversidades enfrentadas ontem serviram para demonstrar um time com poder de superação. Empatar com o CSA em casa é motivo para comemorar? Logicamente que não, mas as circunstâncias fazem com que o jogo possa ser encarado de maneira positiva para a sequência da temporada.   

Já a atuação na goleada de 5 a 0 contra o Globo, também pela Copa do Nordeste causou empolgação. É claro que sempre ficava uma dúvida sobre qual o peso que a fragilidade do adversário teve no que foi visto em campo. O Globo realmente não serve como parâmetro para cravar como está o Bahia para encarar times mais qualificados, mas ele não se distancia tanto de outros que o Tricolor havia encarado antes sem conseguir se impor e empolgar. Então, a partida serviu para mostrar um Bahia superior a ele mesmo nos jogos de antes. Com direito a golaços, troca intensa e objetiva de passes, sem a incômoda morosidade. Depois desses dois jogos, espero que a apatia não ganhe mais terreno na temporada. 

Publicações relacionadas