Bombardeado de ameaças, Otto diz que é ficha limpa e topa briga

Publicado domingo, 13 de junho de 2021 às 06:00 h | Atualizado em 12/06/2021, 18:08 | Autor: Levi Vasconcelos

Veja essa:

“Seu semi analfabeto filho de uma vaca. Seu tipinho ridículo de quem se acha mais inteligente que os outros e enoja todos os médicos do Brasil. Queria discutir com vc por 15 minutos pra vc ver quão humilhado você seria seu merda. Ande na rua seu vagabundo filho de uma égua.Jumento, ignorante, canalha, babaca, ridículo”.

E essa também:

“Se eu fosse Bolsonaro vc já estaria com sua boca suja costurada”.

Aí estão dois pequenos exemplos do bombardeio diário que o senador Otto Alencar (PSD), o único baiano na CPI da Covid, vem recebendo pelas redes por conta da atuação dele. Em média, é de 30 a 40 por dia. No total, mais de 15 mil, muitas com ameaças de morte explícitas, outras com palavrôes impublicáveis.

Com a ciência - Otto diz que na CPI tem lado claramente definido, a ciência.

- Se tem uma coisa que eu não tenho é medo desses merdas. Vasculharam minha vida, não acharam nada, sou ficha limpa e tenho coragem. Eu não dobro a aposta não, triplico. Isso é missa encomendada, com grandes empresários financiando. Bolsonaro usa o governo descaradamente.

No bolo, a ‘notícia’ de que alguns médicos iriam entrar contra ele no Conselho Federal de Medicina (CFM). É fake:

- Já leu O Reino da Mentira de Rui Barbosa? Até parece que ele, o Rui, escreveu para Bolsonaro. É igual.

Novas regras eleitorais deixam deputados inquietos para 2022

As novas regras para as eleições de deputados, principalmente pelo fim das coligações partidárias, estão deixando os deputados estaduais baianos inquietos, cada um mirando o potencial projetado com os companheiros de partido.

A questão: com o fim das coligações, o coeficiente eleitoral (o número de votos válidos dividido pelo de vagas) será por cada partido. Em 2018 foi de 110.659. Nenhum dos 63 atuais atingiu sozinho.

Os que chegaram mais perto foram João Isidório (Avante), o mais votado com 110.540, seguido de Rosemberg Pinto (PT) com 101.945 e Diego Coronel (PSD) com 100.274. 

A deputada Fabíola Mansur (PSB) admite: ‘Não há como não se preocupar com o time que cada partido vai botar em campo’. Pedro Tavares (DEM) carimba: ‘É questão de sobrevivência’. Seja como for, é uma aposta. E daí em diante tem também a sorte.

Alden em dois pontos de vista

Com um processo por falta de decoro no Conselho de Ética da Alba em andamento por ter acusado colegas da oposição de receberem R$ 1,6 milhão da Prefeitura de Salvador, o deputado Capítão Alden (PSL) parece não se dar conta do rolo em que está metido.

Na Alba, pediu desculpas aos colegas, mas nas redes de PMs pinta e borda, referindo-se aos colegas como ‘essa corja’. Pior para ele. Alguém está printando e vai enviar para a Comissão da Alba.

Casa das Arretadas chega no Vale do São Francisco

Luana Andrade, formada em publicidade, propaganda e marketing pela Universidade Makenzie, palestrante, foca na educação digital para buscar alavancar sonhos, fazer das pequenas e simples coisas bons negócios, tendo mulheres como protagonistas. E foi em nome da causa que ela fundou a Casa das Arretadas, para sair por aí fomentando a economia criativa. 

A ideia flui bem. Esta semana a Casa das Arretadas se juntou ao Clube Empreendedoras do Vale e inaugurou amplo espaço (seguindo os protocolos, claro) em Petrolina para atender todo o Vale do São Francisco. Fala ela:

- Nossa missão aqui é fomentar o orgulho de pertencer a cultural local e gerar renda no Vale do São Francisco, tão rico e tão pouco explorado.

POLÍTICA COM VATAPÁ

Pingo nos ís

Essa quem conta é Agostinho Muniz, jornalista.

Lá pelos idos de 1960, Jorge Amado encontra-se, casualmente, no aeroporto, com Jair Gramacho, um dos maiores intelectuais da Bahia, primo da prefeita de Lauro de Freitas Moema Gramacho, que era um tanto anarquista.

Jair teve uma trajetória fantástica. Nem concluiu o curso primário, mas autodidata, acabou professor da Universidade de Brasília, por Notório Saber, título dado pelos reitores Darcy Ribeiro e Anísio Teixeira, Escreveu verbetes para a Enciclopédia Britânica, trabalhou em A TARDE, hoje com a vida destrinchada em livro que está sendo escrito pelo também jornalista Florisvaldo Mattos.

Jorge, então, exclamou:

- Meu poeta! Já faz tempo que não tenho visto seus textos publicados...

E Jair, bem ao seu estilo:

- Deixe de ser bobo, rapaz. Está me confundindo com você? O escritor é você, que tem obrigação de escrever!

Publicações relacionadas