Pequenos partidos brigam para driblar o assédio dos grandes

Publicado sexta-feira, 21 de fevereiro de 2020 às 08:22 h | Atualizado em 21/02/2020, 08:26 | Autor: Levi Vasconcelos

Não é só para as disputas majoritárias que as expectativas para o fim da folia pairam, nas brigas por vagas nas Câmaras de Vereadores também, agora com um consenso consagrado: a única coisa absolutamente certa é que o dinheiro será curtíssimo, ou nenhum.

Mais ainda: como em 2020 as coligações partidárias estão proibidas nas eleições deste ano, o que acontece pela primeira vez na história é cada partido por si, e é exatamente por isso que, nos bastidores, eles travam intensa guerra para tentar agregar lideranças medianas e pequenas.

Fugas - É fácil entender. Candidatos de pouco voto, como 500 ou mil, muito serviam para engordar as coligações antes, agora a pretensão é que eles prestem o mesmo serviço aos partidos.

E é aí que o bicho pega, segundo Rivailton Pinto, presidente do pequeno PTC, um dos 14 partidos que a cláusula de barreira de 2019 (a obrigatoriedade de um percentual de votos em pelo menos nove estados), que perdeu até o Fundo Partidário e sobrevive de doações.

– Eles oferecem vantagens, cargos e até dinheiro, mas nós, os pequenos, vislumbramos a chance de eleger vereador com pouco voto. Estamos ganhando.

Se está mesmo, vai se ver em março, quando acaba o prazo de filiação partidária para quem vai disputar a eleição de outubro. E é por isso que essa briga vai esquentar depois da folia.

Cachimbo da paz em Feira

Zé Ronaldo e o deputado Targino Machado, que se lançou candidato a prefeito de Feira e diz que não aceita ‘traição de Ronaldo’, após uma semana protagonizando o agito na política de Feira de Santana, conversaram anteontem por duas horas num carro na porta do Hotel Acalanto.

Ontem, o jornalista Jânio Rêgo falou do encontro dizendo que ‘Targino baixou o tom’. Targino respondeu que não é baixar nada.

Santa Dulce fica mui grata

No mesmo dia em que a Assembleia de Carinho, a parte light da Alba tocada por D. Danda Leal, esposa do presidente Nelson Leal, entregou às Obras de Irmã Dulce um cheque de R$ 10 mil, fruto da venda de tijolinhos do amor, Teobaldo Costa, dono da rede Atakarejo e pré-candidato a prefeito pelo DEM em Lauro de Freitas, entregou um cheque de R$ 100 mil arrecadados com o troco solidário.

Também aí, mais que o valor, contam as intenções.

Fabrício ainda em dúvida

O deputado estadual Fabrício Falcão (PCdoB), que em 2016 disputou a prefeitura de Vitória da Conquista e ficou em quarto lugar entre sete postulantes, disse que até março decide se vai topar repetir a empreitada este ano de novo. Ele explica as razões da dúvida:

– Hoje eu tenho quatro prefeitos. Quero fazer 12, e a campanha é de apenas 45 dias, o tempo é curto.

Traduzindo, Fabrício está mais para não ir.

Major Denice, a cara do PT após Quarta de Cinzas

Rui Costa está afunilando o leque de conversas para definir a candidatura do PT à prefeitura de Salvador, todas elas convergindo para um mesmo ponto, a major Denice, da PM.

A rigor o partido ainda não se definiu. Rui está chamando todos para conversar. O deputado estadual Robinson Almeida, um dos quatro prefeituráveis (os outros, Juca Ferreira, Vilma Reis e Fabya Reis) e também convidado de Rui diz entender por que Denice está em cena com gás:

– Isso mostra a necessidade que o PT tem de renovação. Ficamos cinco eleições com Pelegrino, não surgiu ninguém. Agora temos quatro candidatos, já tivemos sete. O nosso foco é a unicidade. Vamos ver o que vai dar.

Vai dar Denice. Se cola, é outro papo.

REGISTROS

Enfim, o anel

O deputado federal Zé Rocha (PL), vice-líder do governo na Câmara, diz ter desencantado o velho sonho de Correntina, o anel viário, para tirar do centro da cidade um trecho da BR-349 que causa o maior transtorno. Ele levou um time de Correntina ao ministro Tarcísio Gomes (Infraestrutura) e saiu com a promessa da obra.

Na perna

A Concessionária Nova Lapa, que explora a Estação da Lapa, em Salvador, avisa: a partir das 18h de hoje as escadas rolantes de acesso vão ser desligadas e assim ficarão durante todo o Carnaval. O problema é que gente demais significa perigo certo.

Azeitona e folia

Rio de Contas está em festa, não só pelo Carnaval, mas também porque fez a primeira colheita de uma safra de azeitona na história do Nordeste. Christophe Chinchilla, presidente da Cooperativa de Produtores Rurais Chapa Sul, um dos donos da fazenda, diz que ano que vem produzirá óleo.

Campo da Ema

Moradores de Campo da Ema, povoado de Biritinga, dizem que estão há dois meses sem água. E culpam a Embasa pela situação.

Publicações relacionadas