Reitor do Ifba diz que a eleição foi toda errada. Só ele está certo

Publicado terça-feira, 22 de outubro de 2019 às 06:03 h | Atualizado em 21/10/2019, 23:02 | Autor: [email protected]

Sobre a nota publicada domingo, dizendo que a professora Luzia Mota venceu a eleição de dezembro passado no Ifba e até hoje não tomou posse, Renato Anunciação Filho, que perdeu e permanece como reitor pro tempore, evoca o direito de resposta para dar a versão dele.

Ele diz que foi eleito em 2014, com 52% dos votos, e que, em dezembro passado, disputou a reeleição com três candidatos. E cita os problemas de cada um:

– Um perdeu o dia e o horário de inscrição, mas que três dias depois foi beneficiada por alteração das regras eleitorais feitas para acomodar a candidatura. Outro não cumpria os requisitos da lei, ou seja, não era doutor nem estava em final de carreira. Outro, comprovadamente, realizou campanha fora do prazo estabelecido pelas normas eleitorais.

Diz Renato que todas as irregularidades foram ignoradas pela Comissão Eleitoral, “comissão nomeada por aclamação numa assembleia em que nem ata foi apresentada, toda composta por pessoas ligadas a candidaturas adversárias que desconsiderou todas as contestações que fizemos em relação e estes e a outros absurdos, que estão sendo objeto de questionamento junto à Justiça Federal e Ministério da Educação”.

Ele diz que agiu dentro da lei. E acha difamatória a informação de que “tumultuou” o processo eleitoral.

Ok. Mas, pelo que diz, na eleição todo mundo estava errado, e só ele com a razão.

Bellintani faz golaço no óleo

A ideia de botar o óleo na camisa do Bahia para ontem no jogo contra o Ceará foi um golaço do presidente Guilherme Bellintani no campo do marketing.

Bellintani ganhou repercussão nacional e também amplo espaço na mídia local. Diz ele que a estratégia faz parte do mix de políticas inclusivas que ele vem adotando no Bahia, como o abraço a questões LGBT. E, por aí, cada vez ele se inclui mais na briga para suceder ACM Neto.

Mais poder com a santa

Na Fonte Nova, domingo, a deputada federal Alice Portugal (PCdoB), a estadual Fabíola Mansur (PSB) e a vereadora em Salvador Aladilce Sousa (PCdoB) exultavam com a canonização de Irmã Dulce, segundo elas contaram para a jornalista Cleidiana Ramos, por um detalhe singular.

Trata-se de uma santa, portanto uma mulher, o que muito vai contribuir para o empoderamento feminino, segundo elas.

Waldonys, um toque especial

Na maratona de eventos relacionados à canonização de Irmã Dulce, chamou a atenção a imensa simpatia do sanfoneiro Waldonys.

A sensação de quem observava a relação dele com fãs e devotos é que  aproveitou cada momento. O ápice foi no espetáculo Império do Amor, na Fonte Nova, quando, vestido como anjo, cantou e tocou ao lado de crianças do Cesa, ação educacional da Osid. Pura fofurice, com um toque bem sertanejo.

Wagner renova o PT cá. O caso  agora é o Lula lá

Nas manifestações do  “Lula livre”, tão bem difundidas nas redes sociais, ficou evidente um fato: os manifestantes, na grande maioria, tinham cabelos brancos, sinal de que a militância petista envelheceu.

A eleição de Eden Valadares, apoiado por Jaques Wagner, para a presidência do partido na Bahia, fez prevalecer a tese, ostensivamente defendida por Wagner,  da necessidade de renovação, para rejuvenescer o partido.

Se a ideia vai embalar em nível nacional, é outra conversa. Mas boa parte dos petistas baianos vê o fato com desconfiança. Afinal, dizem eles, os paulistas, e Lula é mais paulista que pernambucano, têm a mania de olhar nordestinos de cima para baixo. E Lula é um velho que se acha novo.

REGISTROS

Santa paz

Os que foram à Fonte Nova para a missa de Irmã Dulce, domingo, são unânimes em apontar a festa bonita e organizada, em um espaço gigante. Com um detalhe: lá estava a imagem do Senhor do Bonfim, numa das raríssimas vezes que saiu da igreja.

Estrago na pesca

O governo estima que nas 77 cidades nordestinas dos nove estados atingidas pelo óleo cerca de 144 mil pescadores e marisqueiros estão prejudicados. Aqui, com oito cidades, a Bahia Pesca aponta 13.375 pescadores e marisqueiros.

Arrefecendo ânimos

Depois de trocar cotoveladas com Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, por conta da briga no PSL, a deputada federal baiana Dayane Pimentel, presidente do partido no estado, diz que “é hora de arrefecer os ânimos”. Na briga, entre mortos e feridos, salvaram-se todos.

Selo João Ubaldo

A Fundação Gregório de Mattos lança hoje (19h), na nova sede (rua do Couro, Barroquinha),  coleção do selo João Ubaldo Ribeiro - Ano II, uma coletânea de oito livros de temas livres para vencedores do concurso homônimo.

Publicações relacionadas