O Carrasco - Vira-casaca

Publicado segunda-feira, 10 de janeiro de 2022 às 00:00 h | Atualizado em 10/01/2022, 07:38 | Autor: Da Redação

ASSUNTO DA SEMANA

E não é que o bigodudo decidiu pedir arrego? Com as chuvas que atingiram Brumado, o prefeito Eduardo Vasconcelos, aquele que se debandou para o lado de Bolsonaro, não sabe agora se cobra ajuda do Governo Federal ou se apela pra Rui. Choramingando na A TARDE FM essa semana, ele se comportou como um bom vira casaca arrependido que, no fim das contas, termina sozinho e largado no escanteio. Quem sofre com isso, como sempre, é a população.

DIGA AÍ?

Numa rápida passagem do Carrasco pela cidade de Abaíra, na Chapada Diamantina, foi possível flagrar uma mistura do bom uso da gestão pública em favor próprio, com uma leve lembrança de que a população existe. Ruas esburacadas, monumentos enferrujados e zero de atrativo turístico para um município reconhecido como 'Cidade da Cachaça'. Mas, nada de deixar o cidadão abairense desinformado. Para isso, é oferecido o Diga Net, a preço baixo e "o melhor serviço da cidade". Afinal, com o Wi-Fi zero bala, pra quê pavimentação nas ruas? Pena que o Carrasco não pôde encontrar o prefeito Diga (DEM) pra curtir um pouquinho das férias à base da famosa bebida. Que decepção!

TOUR BAIANO

E não é que nas férias o Carrasco acabou vendo foi coisa por essa Bahia afora? De empresário se aproveitando no interior com combustível a quase R$ 8 reais, a estradas destruídas sem ser por conta da chuva. Foi possível flagrar a politicagem já anunciando que este é um ano eleitoral. Haja outdoor de deputado dizendo que aquela é a cidade do coração e já pedindo voto de forma disfarçada. Aos baianos, este Carrasco alerta. Fiquem atentos e acompanhem esta coluna. Vamos listar um por um e cidade por cidade. Sobre quem realmente fez ou quem só aparece de vez em quando para garantir a boquinha.

MAGOOU

O novo secretário de Turismo em Simões Filho, Joel Cerqueira, não economizou ao falar sobre o motivo do rompimento com o ex-prefeito Eduardo Alencar (PSD). Segundo ele, o diálogo entre os dois era bom, mas tudo mudou de uma hora para outra. A fragilidade na relação fez Joel pular o muro e cair na base do atual prefeito Dinha Tolentino. O vereador se magoou.

ONDE ESTÁ O DINHEIRO?

Entre os meses de janeiro e novembro de 2020 Ipirá recebeu mais de R$106 milhões. Já entre janeiro a dezembro de 2021, o município arrecadou do Fundo de Participação dos Municípios um valor que ultrapassa os R$ 127 milhões. Enquanto isso a cidade precisa da implantação de um Gripário para aumentar a capacidade de atendimento da Unidade de Pronto Atendimento, que tem tido dificuldade com a demanda. Tá faltando o quê?

COMPAIXÃO EM FALTA

Indignação e revolta é o que estão sentindo familiares de pacientes psiquiátricos que sofrem de esquizofrenia em Ilhéus, sul da Bahia. As pessoas que dependem do suporte do município para obter medicamentos como Amplictil e Tegretol, imprescindíveis para anular os sintomas mais graves, estão em falta no município há mais de quatro meses. Sem o uso regular os pacientes ficam suscetíveis a surtos. A medicação custa quase R$ 200. Enquanto isso, familiares que esperam a resposta da gestão, sofrem e mantêm o receio de que algo mais grave aconteça.

CHAMA ZÉ PEQUENO I

O prefeito de Catu decidiu fazer jus ao nome em cima da sua gestão. O Pequeno Sales, com pouco tempo à frente da prefeitura, já acumula diversas reclamações. Obras sem cumprir, promessas de campanha que ficaram na campanha e sinais claros de desgaste e ineficácia do trabalho. Já sendo chamado do prefeito "6 por meia dúzia", Pequeno parece mesmo que não vai crescer. Eleito sob a bandeira do suposto saneamento da administração pública que, segundo ele, estava cheia de grupos que sangravam os recursos municipais, segue agora aliado aos personagens que outrora acusava com impropérios impublicáveis.  

CHAMA ZÉ PEQUENO II

O cenário político catuense está sacudido por um discreto “freio de arrumação”. Ao que parece, a ida do vereador Nego Zezinho (PSD) para a Secretaria de Serviços Públicos tem o objetivo de atrair a base do suplente da cadeira, Didico do Salão. No baile mal tocado da gestão municipal, as cadeiras dançam a marcha da incompetência. São promessas quebradas e a tão prometida geração de emprego encalhada no papel.

JANEIRO SEM LUZ

Um surto de gripe atingiu a cidade de Coité neste início de ano. Os postos de Saúde do município já estão lotados e muitos moradores já tentam vaga para atendimento na capital. Por lá, o Natal de Luz que previa festas, foi cancelado já como quem anuncia o que estava por vir. Enquanto os pacientes tentam agora se livrar da doença, há quem diga que teve prefeito fazendo festa em mansão na  Praia do Forte, com direito a fogos e aglomeração.

VAI TER REPLAY

A recente operação da PF que atingiu uma rede de postos na Bahia por envolvimento com o tráfico internacional de drogas deve ter uma segunda fase em breve. Chega ao Carrasco, que após o Chefão ter sido descoberto, algumas distribuidoras e postos que atuam no Nordeste seguem na mira e que na rede, além da concha, muito peixe graúdo vai ser puxado junto. Preparem o palco para as apresentações, porque o cerco já está montado.

TIRAR PROVEITO VOLVER

Assim como para tudo tem solução, para cada clique e audiência surge um candidato. E é desta maneira que já estão fazendo com a primeira enfermeira que se vacinou no país, a Mônica Calazans. Ela se filiou ao MDB e deve sair candidata a deputada federal pela sigla. Mirando alto, a postulante negou a informação para a coluna Painel, da  Folha. Mas, como sempre onde há fumaça há fogo, breve teremos essa confirmação oficializada com direito a saber qual mentor estará tirando proveito disso.

JABUTIS NO IPTU

O reajuste de quase 11% no valor do IPTU de Salvador tem dado o que falar entre a bancada de oposição ao governo de Bruno Reis. O líder da oposição na Câmara Municipal de Salvador, o vereador Augusto Vasconcelos, denunciou “jabutis”, na proposta que incluía o aumento do imposto. A vereadora Marta Rodrigues classificou o movimento como ‘fora da realidade e incoerente’. Em coro, o ex-prefeito de Salvador, vereador Edvaldo Brito (PSD), apontou 'inconsistências' jurídicas na proposta. Com a proximidade das eleições, o tema deve dá pano pra manga.

JURASSIC PARK

Desde que o prefeito Bruno Reis anunciou a chegada de mais uma escultura ao parque dos dinossauros localizado no Stiep, choveu críticas e memes à iniciativa. O democrata adiantou-se e informou que se trata de uma iniciativa privada e  não vai gerar custos aos cofres da prefeitura. No entanto, a ofensiva continuou na rede. Jurassic Park Salvador.

DILEMA

O prefeito Bruno Reis lançou, nesta sexta-feira, um dilema: seria justo abrir leitos de UTI para pessoas que não se vacinaram? Em coletiva de imprensa, o democrata afirmou que esse público é o que mais procura os leitos. A resposta ficou no ar.

CARNAVAL INDOOR

O questionamento do verão no momento é: se não vai ter Carnaval de rua, por que vão ter festas particulares fechadas? Para alguns, não há medida por saúde pública nisso, mas segregacionismo. O cantor Léo Santana, porém, enxerga com naturalidade, já que disse enxergar o Carnaval Indoor como “festa popular”.

PODEROSO

Mesmo após deixar o cargo em razão de um episódio constrangedor, com direito a ofensas no Whatsapp, um secretário doido para virar deputado anda fazendo promessas e oferecendo 'benesses' da pasta que comandou no passado. A impressão para os que estão por perto é que a sua saída foi apenas figurativa, mas nos bastidores ele é quem comanda a dança das cadeiras e detém todo o poder.

FIGURAÇÃO

A ministra Damares Alves veio para a Bahia junto com outros membros do governo Bolsonaro para acompanhar a situação das enchentes que afetaram mais de 800 mil baianos. Ela deu entrevista, fez discurso na coletiva, mas ninguém entendeu muito bem o que veio fazer. As cenas em que aparecia ao fundo levava a crer que só era mais um personagem de figuração.

ENQUADRADA

A chamada dessa semana vai para a  CVR Costa do Cacau. Se no fim do ano passado foi importante puxar o saco dos políticos, o que fazer então diante do desastre das chuvas na Bahia? Se de um lado, muitas empresas pilotaram campanhas de doação, a CVR parou nos kits de Natal que foram distribuídos a vereadores e prefeito em homenagem ao dia deles. Os brindes, que foram apelidados de Cacau do Nacib, tentam reforçar uma imagem de boa moça para garantir os gordos contratos nos municípios da região. Mas, em tempos onde a solidariedade é necessária, o questionamento sobre a ajuda da empresa aos desabrigados do Sul do Estado veio à tona. Esta coluna aconselha: abre o olho CVR, porque o S.O.S agora é sério, vai muito além do Cacau e as vítimas agradecem.

Publicações relacionadas