Congresso debate ecologia e agro

Publicado terça-feira, 22 de junho de 2021 às 06:01 h | Atualizado em 21/06/2021, 22:58 | Autor: Miriam Hermes e Redação | [email protected]

Continua este ano em formato digital, assim como ocorreu em 2020, o Congresso Brasileiro do Agronegócio, com a participação de produtores rurais da Bahia e de outros estados, tendo como tema central ‘Nosso carbono é verde’.

Programado para o próximo dia 2 de agosto, o encontro está com inscrições abertas no endereço https://congressoabag.com.br/, no qual o interessado encontra também informações gerais e notícias sobre esta 20ª edição do congresso do agro.

Necessário para a sustentabilidade e, portanto, a manutenção de bons negócios, o mercado de carbono tende a ser ampliado com a redução de emissões de gases de efeito estufa , cujo efeito no clima é uma ameaça para o planeta.

Segundo dados do Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável, apenas a conservação da Amazônia poderia render US$ 10 bilhões ao ano para o Brasil em créditos de carbono.

O XX Congresso do Agronegócio já tem toda a programação e os três painéis definidos: Energia Limpa e Sustentável, Brasil Verde e Competitivo e O Futuro do Agro no Comércio Mundial.

Expectativa – A expectativa dos organizadores, neste segundo ano de necessário distanciamento, é de um número superior a oito mil participantes online, como registrado no borderô digital a partir dos acessos e visualizações registradas.

O público-alvo do evento é predominantemente formado por empresários, líderes setoriais, autoridades públicas ligadas aos governos federal, estadual e municipal, parlamentares e profissionais em geral da cadeia do agro, além de estudantes de agronomia.

“As eleições são seguras, transparentes e auditáveis (...) Não é para mudar a convicção de cada um. É apenas uma reunião de transparência para demonstrar que tudo aqui é feito de maneira aberta e fiscalizável”

Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, em apresentação a deputados no debate sobre voto impresso

Custo da indústria

O custo de produção e a obtenção de matérias-primas estão entre as principais preocupações dos empresários da indústria. O tema foi debatido por lideranças setoriais de todo o país, em encontro promovido pela Confederação Nacional da Indústria e federações estaduais, entre as quais a Fieb. As alterações nos padrões de sociabilidade dentro da indústria já vinham tornando-se mais rápidas, e, agora, com o isolamento, teriam acelerado, segundo debatedores.

– A crise demonstrou que muitas atividades podem ser realizadas remotamente, além de nos fazer repensar a necessidade de escritórios centrais, reuniões presenciais e outras atividades que podem ser executadas a distância – disse o presidente do conselho de relações trabalhistas da Fieb, Homero Arandas.

Contra a LGBTfobia

Na véspera das comemorações do Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, Salvador contará com uma programação especial para marcar a data. O projeto “Orgulho, sim senhor”, promovido pelo site Dois Terços, será realizado hoje, das 15h às 17h, direto do palco do Teatro Gamboa, com transmissão ao vivo pelo canal do veículo no YouTube. A programação contempla debates, shows e homenagens e fortalece a importância da arte como um instrumento de resistência contra a LGBTfobia.

POUCAS & BOAS

O Parque Natural Municipal Morro do Pai Inácio, o Parque Natural Municipal do Riachinho e o Monumento Natural Municipal da Carrapeta são as três unidades de conservação do município de Palmeiras que fazem parte de um termo de ajustamento de conduta (TAC) assinado pelo município e o Ministério Público da Bahia (MP-BA) para que sejam regulamentados. Os três espaços já são frequentados há décadas por moradores da região e visitantes, no entanto, ainda não têm instrumentos de gestão. Diante da assinatura do TAC, o município de comprometeu a regularizar toda a situação documental e elaborar os planos de manejo necessários para a conservação e monitoramento.

Em Juazeiro teve início ontem o funcionamento dos dois restaurantes populares que estavam fechados desde o início da pandemia. A proposta é ofertar 700 refeições gratuitas por dia para a população que está em situação de vulnerabilidade social. Mantidos pela Secretaria de Desenvolvimento Social, Mulher e Diversidade (Dedes), os espaços funcionam de segunda a sexta.

Publicações relacionadas