Emiliano toma posse como número 1 da ALB

Publicado sexta-feira, 19 de março de 2021 às 06:01 h | Atualizado em 18/03/2021, 22:41 | Autor: Miriam Hermes e Redação

Professor, jornalista, escritor, deputado, seja qual for a área de atuação de Emiliano José, o histórico de luta pelo bem da cidadania estará respaldando sua eleição para a cadeira número 1 da Academia de Letras da Bahia, posse confirmada para o dia de hoje, às 19 horas.

A responsabilidade não será pequena, ao ocupar o assento antes pertencente ao saudoso historiador Luís Henrique Dias Tavares e, antes dele, o patrono da instituição, Frei Henrique Salvador.

A solenidade terá como condutor o acadêmico Ordep Serra, antropólogo, helenista e pesquisador do candomblé, entre outras qualificações,  recém-eleito presidente da  Academia de Letras da Bahia. A posse da nova diretoria da ALB ocorreu no último dia 11, também pelo Youtube.

– Pudéssemos sonhar, e diríamos: melhor seria um encontro caloroso, cheio de abraços e beijos – postou Emiliano José, em uma rede social.

Limitações – O laureado lamentou o impedimento da inevitável casa cheia, em proibida aglomeração, devido à pandemia, segundo ele, “seriamente agravada por um governo negacionista, avesso a quaisquer raciocínios científicos”.

O aguardado discurso de posse do novo número um da ALB será seguido pelo do arquiabade do Mosteiro de São Bento, dom Emanuel D’Able do Amaral, também integrante da Academia de Letras da Bahia.

Ressaltou, no entanto, o novo titular da ALB a importância de se insistir no convívio, mesmo de outro tipo, de natureza virtual, ao convidar toda a cidadania, quem tiver acesso à internet, clicar no endereço https://youtube.academiadeletrasdabahia.org.br/.

“É inaceitável que a

pandemia tenha sido

conduzida sem

liderança, sem com

falta de considerações

técnicas, com

constantes tentativas

de desmoralização dos

procedimentos

apropriados”

General Santos Cruz, ex-ministro do governo Bolsonaro, em nota, negando aproximação com o PT

Celebração por 110 anos

Tido como uma das principais instituições de ensino da Bahia, o Colégio Antônio Vieira chegou aos 110 anos esta semana. Depois de uma missa, transmitida pela internet, foi realizada uma série de videoconferências para celebrar a data. A primeira foi com o músico Armandinho, ex-aluno e avô de atuais estudantes, filho de Osmar Macêdo, um dos inventores do trio elétrico, ele falou dos tempos de estudante, início de carreira, além de propor saídas para o enfrentamento dos reveses no cenário cultural em tempos de pandemia. O colégio de 3.500 alunos lançou também uma edição eletrônica especial da Revista Vieirense. Entre as personalidades que passaram pela instituição, estão Jorge Amado, Thales de Azevedo, Anísio Teixeira e Mário Cravo.

Reação do Legislativo

O senador baiano Ângelo Coronel (PSD) reclamou da postura do Poder Legislativo diante da pandemia do novo coronavírus (Covid-19) e cobrou que a partir da morte do senador Major Olímpio (PSL-SP), terceiro senador em menos de um ano vitimado pela doença, haja um empenho do Congresso em pressionar o Executivo para dar mais celeridade à compra dos imunizantes e à vacinação da população.

– O Parlamento precisa pressionar, com urgência, o governo a ir em busca imediatamente da vacina, da cura, onde estiver, sem burocracia e por qualquer valor. A vida não tem preço, chorar e ter paciência tem limites – criticou Coronel.

POUCAS & BOAS

Lilian Almeida e Clarissa Macedo são as duas escritoras baianas que participam hoje de um encontro internacional entre mulheres poetas da literatura portuguesa e espanhola dentro do projeto ‘Cartografias Hispano-Latino-Americanas-Vozes de Mulheres’. O evento virtual, promovido pelo Instituto Cervantes (de Salvador e Recife) e o Centro Cultural da Espanha em Salvador, tem início às 18h e conta ainda com poetas da Colômbia, Espanha e Pernambuco.

Termina hoje a oficina Elaboração de Projeto Cultural na Prática, evento que faz parte do projeto ‘Musa – Festival de Artes Integradas para Mulheres de Feira de Santana’, através de uma iniciativa do Coletivo Culturasss. Aberta na quarta-feira, a oficina é gratuita e focada em mulheres com mais de 18 anos, com interesse em desenvolver projetos na área artística e cultural.

Publicações relacionadas