Os segredos da Sefaz Salvador

Servidores ouvidos pelo Jornal A TARDE sob condição de anonimato relataram ameaças, perseguição institucional e constrangimento

Publicado sábado, 09 de julho de 2022 às 09:57 h | Atualizado em 09/07/2022, 09:57 | Autor: Da Redação
Dois servidores da Sefaz fizeram relatos ao jornal A Tarde, sob condição de anonimato
Dois servidores da Sefaz fizeram relatos ao jornal A Tarde, sob condição de anonimato -

As últimas semanas têm sido marcadas por denúncias de assédio moral e sexual que partem dos chefes para com os seus subordinados. Entre estes escândalos está o da Caixa Econômica Federal. O presidente do banco, Pedro Guimarães, pediu demissão depois de uma série de denúncias de assédio sexual e moral. O caso revelou um ambiente de trabalho perigoso, especialmente para as mulheres. 

Mas, o que parece estar distante de nós, pode acontecer bem aqui ao lado. Desde março deste ano, o assunto assédio vem rondando os corredores da Sefaz Salvador. A secretária municipal da Fazenda, Giovanna Victer, foi acusada de ameaçar servidores de demissão, promover perseguição institucional e constrangimento. A denúncia de assédio moral chegou, inclusive, até o Sinjorba, já que um dos servidores era uma jornalista. O assunto, que parecia estar adormecido e que não teve nenhum posicionamento público por parte da Prefeitura, ganha agora novos capítulos.

O assunto voltou à tona pois dois servidores da SEFAZ relataram ao jornal A Tarde, sob condição de anonimato, que estariam sendo persuadidos pela secretaria Giovanna Victer a indeferir ou engavetar processos administrativos de compensação tributária, mesmo aqueles que possuem parecer da procuradoria a favor do contribuinte. “A ordem aqui é minha e pouco importa o parecer, portanto o senhor faça o que eu mando senão quiser ir para a geladeira”, teria gritado Victer a um subordinado. Geladeira, para os servidores da secretaria, é o corredor.

Publicações relacionadas