"Brasil reinvidica a substituição", diz Gil sobre Bolsonaro

O artista baiano analisou o impacto negativo do governo federal para a arte

Publicado terça-feira, 24 de maio de 2022 às 07:59 h | Atualizado em 24/05/2022, 07:59 | Autor: Da Redação
Gilberto Gil faz parte da Academia Brasileira de Letras
Gilberto Gil faz parte da Academia Brasileira de Letras -

O cantor e compositor Gilberto Gil, ex-ministro da Cultura, apontou as dificuldades enfrentadas pelas instituições culturais no governo do presidente Jair Bolsonaro (PL). Em entrevista ao "Roda Viva", da TV Cultura, o baiano analisou o impacto do atual gestão federal para as instituições culturais. 

"Ficamos muito consternados. Não imaginávamos que essa fúria fosse prevalecer no caso das artes, do campo cultural. [...] Foram instituições fortalecidas em governos anteriores. Processos e projetos de fomento foram totalmente abandonados", afirmou Gil. 

O cantor de 79 anos, que agora faz parte da Academia Brasileira de Letras, reforçou que o povo brasileiro tem que buscar o fortalecimento da democracia, já que somente através do voto consegue alterar o governo. Ele ainda apontou que "boa parte do Brasil reivindica a substituição dos que estão aí".

"Ficamos consternados, mas é o suficiente? É preciso batalhar, lutar e insistir no fortalecimento dos mecanismos democráticos. São importantes a liberdade de expressão, a eleição, o associativismo contemporâneo com tantos coletivos. É a sociedade brasileira tomando em suas mãos as suas responsabilidades", disse o artista. 

Publicações relacionadas