Imortal da Academia de Letras da Bahia, Emiliano José lança novo e-book

Publicado quinta-feira, 02 de dezembro de 2021 às 15:59 h | Atualizado em 02/12/2021, 18:43 | Autor: Da Redação

O jornalista e escritor Emiliano José, imortal da Academia de Letras da Bahia, lança no  sábado da próxima semana, 11, sua mais nova obra: “Os comunistas estão chegando”. O e-book, segundo da carreira do autor e 17º título dele, no geral, resgata as várias trajetórias do jornalismo baiano, contemporâneas da época da ditadura militar.

O lançamento será com uma live às 19h, no canal do YouTube do também escritor e jornalista Franciel Cruz, com a participação de alguns dos 18 protagonistas da obra. O e-book já está à venda no site da Amazon, assim como o primeiro volume da série, “Balança mas não cai”. Emiliano passou a ocupar, em março deste ano, a cadeira número 1 da Academia de Letras da Bahia, cujo antecessor foi o historiador Luís Henrique Dias Tavares.

Após narrar parte da própria jornada, engatinhando nas redações, em “Balança mas não cai”, Emiliano agora conta, por meio da memória dos protagonistas, curiosidades e verdadeiras batalhas jornalísticas contra a censura, travadas sobretudo nas redações do extinto Jornal da Bahia e da resistente Tribuna da Bahia. Veículos que deram guarida, além de régua e compasso, a esses e tantos outros “comunistas”.

Protagonizam o e-book Jadson Oliveira, Alex Ferraz, José de Jesus Barreto, José Carlos Menezes, José Sérgio Gabrieli, Quintino de Carvalho, Césio Oliveira, Gustavo Falcón, Luiz Manfredini, Aécio Pamponet, HAF – Hamilton Almeida Filho, Marcos Palácios, Oldack de Miranda, Mirtes Semeraro de Alcântara Nogueira, Sóstrates Gentil (em nome do pai, também Ludmilla Duart), Othon Jambeiro, Joca - João Carlos Teixeira Gomes e Fred Matos

“Os comunistas estão chegando” tem prefácio do jornalista Ernesto Marques, presidente da Associação Bahiana de Imprensa (ABI-BA). Já a capa, um projeto gráfico do também escritor Gabriel Galo, traz foto histórica, de autoria do repórter fotográfico Manoel Porto, de uma entrevista coletiva do líder comunista Luiz Carlos Prestes à imprensa baiana. Emiliano José em destaque com seu imenso gravador, ele próprio um dos “comunistas” que invadiram as redações naqueles anos de chumbo. A edição do e-book é da jornalista Mônica Bichara.

A série #MemóriasJornalismoEmiliano foi iniciada em maio de 2019, na página do escritor no Facebook, e não parou mais. Está a todo vapor, com capítulos diários. Uma característica dos volumes que estão sendo publicados é incluir os comentários dos seguidores do perfil na rede social. Interatividade levada a sério. Tanto, que Emiliano José faz um pedido aos leitores: “Não leiam o chamado texto principal, de minha lavra, desprezando os comentários. Será pecado. Os comentários são essenciais – complementam, enriquecem muito a narrativa, trazem coisas originais de montão. Suscitam controvérsias, animam o debate. Por isso, são deixados como tais, sem tirar nem pôr”.

Na tentativa de definir o livro, Emiliano compara: “Sinto-me no contexto de um texto matrioska - penso nelas, as bonecas russas, uma boneca dentro da outra, numa sequência. Um texto puxando outro. Os personagens se misturam, e, ao longo da narrativa, podem se repetir”. E ele diz ter tido a alegria de revelar trajetórias exemplares, ricas, descobertas ao longo da pesquisa, uma viagem às redações e às lutas jornalísticas e culturais de um tempo não tão distante, “mas com a consciência de já estarmos pisando em outros territórios, outros tempos”.

Imagem ilustrativa da imagem Imortal da Academia de Letras da Bahia, Emiliano José lança novo e-book
O e-book já está à venda, assim como o primeiro volume da série, “Balança mas não cai” | Foto: Divulgação

Publicações relacionadas