adblock ativo

Ídolos estreia mais uma temporada com mais do mesmo

Publicado terça-feira, 11 de setembro de 2012 às 11:35 h | Atualizado em 11/09/2012, 11:35 | Autor: Bruno Porciuncula
Ídolos 2012 - juri e apresentador
Ídolos 2012 - juri e apresentador -
adblock ativo

Leandro Lopes, Thaeme Mariôto, Rafael Barreto, Saulo Roston, Israel Lucero e Raphael Diniz. Quem conhece pelo menos um desses cantores? Aqui em Salvador, Leandro deve ser o mais conhecido, já que o "auge" da carreira dele foi ser o vocalista do Rapazolla. O que eles têm em comum, fora o fato de serem quase desconhecidos, é que todos foram vencedores de edições passadas do Ídolos, programa que ganhou mais uma temporada na Rede Record, às terças e quintas, logo após Avenida Brasil, da Rede Globo.

Esta nova temporada apresenta algumas novidades. Supla e Fafá de Belém são os novos jurados. O primeiro, com o estilo amalucado e gente boa, não acrescentou muito à atração. Na primeira semana, que mostrou as audições de Porto Alegre, ele aprovou um candidato fraco só porque era "bizarro". Fafá de Belém interpreta o mesmo papel das juradas de outras edições: é a voz feminina e emotiva do trio. Chora facilmente e muitas vezes faz aquela cara de "que coisa linda". Também sente pena de ter que eliminar alguns candidatos que, apesarem de serem carismáticos, não têm aquele "algo mais".

A apresentação também mudou. Saiu o insosso Rodrigo Faro e entrou o divertido Marcos Mion. Tudo bem que Mion fez algumas piadas sem graça na primeira semana, mas foi muito melhor do que o antecessor. E ele deve melhorar com o decorrer da atração, quando ficar mais solto e acostumado com o formato. As intervenções dele contando algumas curiosidades sobre Porto Alegre foram interessantes e enriqueceram o programa.

A melhor novidade, para os candidatos, é claro, foi o prêmio. Pela primeira vez o vencedor vai ganhar uma bolada em dinheiro: R$ 500 mil. Assim, se não for ídolo brasileiro, pelo menos terá uma boa grana para ficar feliz.  

Apesar dessas mudanças de nomes, tudo continua praticamente igual no programa. O produtor Marco Camargo já deveria ter aprendido que existe uma sutil diferença entre ser grosseiro e turrão. Em 99% das vezes, ele é apenas indelicado e faz críticas lamentáveis, longe de ser inteligente e turrão como Simon Cowell, da versão americana do programa.

Os candidatos também foram os mais variados possíveis: gordos, magros, desatentos, esquisitos... O destaque foi, sem dúvida, o jovem Everton Maciel, que emendou dois belos sambas, emocionando (oh, novidade) Fafá de Belém. O suspense da classificação dele durou dois programas.  Marco Camargo disse "não" e Supla, obviamente, "sim". Com o voto de minerva, a cantora também disse "sim" para ele, que se garantiu na próxima fase, em São Paulo.

Confesso que as duas primeiras edições da nova temporada deram sono. Nesta semana, o programa deve ser mais animado, já que vai exibir as audições realizadas em Salvador. Poderemos ver algum amigo ou conhecido pagando o mico de encarar o sol forte, a fila quilométrica e os jurados para aparecer na televisão.

Ídolos Kids

O programa fofinho e bonitinho serve mesmo para tapar buraco e encantar as mamães das crianaças que participam do programa. Com candidatos mirins de 5 a 12 anos, o reality não traz nada de interessante, a começar pelo elenco. Afinal, precisa ter uma boa vontade enorme para assistir até o fim um programa que tem Kelly Key, João Gordo e Afonso Nigro como jurados e Cássio Reis como apresentador.

João Gordo e Afonso Nigro até fazem colocações interessantes, vá lá, mas os candidatos são crianças, as vozes vão mudar e estão ali, quase sempre, porque as mães acha que cantam bonitinhos (ah, essas mães...). Kelly Key sempre fica com a cara de Fafá de Belém, piorada, "que coisa fofinha" e "que coisa bonitinha". Também apelam para a sexualidade das crianças, perguntando se tem namoradas (os) e outras bobagens.

Cássio Reis, que parece ser um cara legal, está com jeito de... cara legal. Sempre sorri, abraça as crianças e consola as mães. Acrescenta pouco para o programa, apesar de ser imprescindível ter um apresentador na atração.

adblock ativo

Publicações relacionadas