adblock ativo

Glória Pires está de volta como a babá interesseira

Publicado segunda-feira, 28 de março de 2016 às 18:25 h | Atualizado em 28/03/2016, 18:25 | Autor: Márcio Gonçalves | Estadão Conteúdo
Anjo Mau
Anjo Mau -
adblock ativo

A Globo está mesmo disposta a reforçar a programação da tarde. E, para isso, segue apostando em clássicos da teledramaturgia para preencher o horário do Vale a Pena Ver de Novo. Tanto que, a partir desta segunda, junto com a última semana de Caminho das Índias, estreia a reprise do remake de Anjo Mau, produzida entre 1997 e 1998.

Protagonizada por Gloria Pires, no papel da babá interesseira Nice, a novela foi a primeira que Maria Adelaide Amaral assinou sozinha - ela tinha sido creditada como autora de Deus nos Acuda (Globo, 1992) junto com Silvio de Abreu e Alcides Nogueira.

Na história, Nice é uma jovem ambiciosa e filha adotiva de Augusto (Cláudio Corrêa e Castro) e Alzira (Regina Dourado). Decidida a ascender socialmente a qualquer custo, ela aproveita uma oportunidade de trabalho na mansão dos Medeiros para arquitetar um plano maquiavélico. Ela quer conquistar o coração de Rodrigo (Kadu Moliterno), ricaço que está de casamento marcado com Paula (Alessandra Negrini). Mas um imprevisto acontece nessa trajetória: Nice se apaixona por sua vítima enquanto convive com a família e toma conta do filho de Stela (Maria Padilha), irmã dele.

Final feliz

Vários fatores fazem com que Nice, apesar dos traços de vilã, consiga ganhar alguma torcida dos telespectadores. Paula não é nenhuma santa, a dondoca tem um caso com o cunhado, Ricardo (Leonardo Brício). A traição, é claro, é descoberta com um "empurrãozinho" da babá, que ganha a atenção de Rodrigo e usa o irmão Luiz Carlos (Márcio Garcia) para afastá-lo de Lígia (Lavínia Vlasak), apaixonada pelo milionário desde menina.

Nice ainda precisa conter as investidas do mecânico Julio (Luciano Szafir), seu ex-namorado, que faz de tudo para tentar uma reconciliação.

A segunda versão de Anjo Mau teve algumas diferenças em relação à primeira, também da Globo, exibida em 1976. Inclusive a ambientação, já que a adaptação mais recente se passa em São Paulo, enquanto a original acontece no Rio de Janeiro. Mas a principal delas é o desfecho da história.

No texto de Cassiano Gabus Mendes, Nice, então vivida pela atriz Susana Vieira, morre no parto, ao dar à luz um filho de Rodrigo (José Wilker). Já Maria Adelaide Amaral optou por uma redenção da personagem. No final da trama da autora portuguesa, Nice e Rodrigo terminam juntos.

Um ponto forte da sinopse original, no entanto, foi mantido: Nice é filha biológica de Alzira, fruto de um estupro. Depois de deixar a menina em um orfanato, ela se arrepende e a adota, mas não consegue amá-la.

adblock ativo

Publicações relacionadas