adblock ativo

Livro, CD e DVD celebram 40 anos de Jorge Aragão

Publicado terça-feira, 13 de setembro de 2016 às 07:00 h | Atualizado em 13/09/2016, 11:15 | Autor: Gabriel Serravale
Jorge Aragão
Jorge Aragão -
adblock ativo

"Lembro de quando eu pensei em ser artista, mas mal podia comprar comida para alimentar as minhas filhas". As palavras de Jorge Aragão referem-se a um tempo em que ele sequer imaginava completar 40 anos como um dos principais compositores de samba do Brasil. Para celebrar essas quatro décadas de carreira, a quinta edição do projeto Sambabook, recém-lançado pela Musickeria, presta uma homenagem ao cantor carioca.

Assim como as edições anteriores, que homenagearam Dona Ivone Lara, Zeca Pagodinho, Martinho da Vila e João Nogueira, o Sambabook Jorge Aragão traz uma variedade de opções. Produzido com o patrocínio da Petrobras, o material conta com dois CDs, DVD,  Blu-ray, livro, especial  no Canal Brasil,  fichário de partituras, ambiente web com portal e redes sociais e aplicativos para smartphones e tablets.

"Foi uma grata surpresa quando o Afonso Carvalho [diretor geral do projeto]  colocou o meu nome como o quinto homenageado. Mesmo assim, ainda pulei um pouquinho nas tamancas com ele. 'Você está queimando etapas.  Ainda tem Paulinho da Viola,  Monarco, tanta gente'. Mas ele me disse: 'esse é o seu momento'. E eu estou muito contente com isso", diz o cantor.

Convidados

Os dois CDs, o DVD e o blu-ray  trazem apresentações gravadas na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro, em março deste ano. Vários nomes da música brasileira, de diferentes gerações e gêneros, marcaram presença, cada um fazendo sua leitura de uma composição de Jorge Aragão.

Há gente que faz parte da história do compositor, como Elza Soares, que foi sua primeira intérprete, e Beth Carvalho, que transformou em sucesso algumas das suas composições, como Vou Festejar. Mas há também caras novas da música, como Emicida, cantando Moleque Atrevido, e Anitta, que coloca a voz em Coisinha do Pai.

"Todos eles foram muito competentes. E acho que a longevidade do meu trabalho autoral mostra que essas músicas valem para todas as gerações. Ver essa pluralidade do meio artístico cantando a minha obra foi algo inenarrável", diz Jorge Aragão, que só participa da música Vou Festejar, que é dividida com outros cantores.

Há mais um tanto de convidados. Seu Jorge, Zeca Pagodinho, Maria Rita, Vander Lee, Lenine, Ivan Lins, Martinho da Vila, Luiz Melodia, Baby do Brasil, Diogo Nogueira, Jorge Vercillo, Alcione, Sandra de Sá, Afrolata, Joyce Cândido, Péricles, Xande de Pilares, Fundo de Quintal, Thais Macedo e Luciana Mello completam o time.

Acompanhados por um bom grupo de músicos, o resultado dessa reunião é samba de primeira qualidade com a identidade musical de cada intérprete. São 25 faixas mais o making of, no DVD e blu-ray, e 13 em cada CD.  

Livro

O livro que integra o projeto Sambabook é uma opção para quem, além de ouvir, quer conhecer as histórias por trás de cada um dos discos lançados pelo cantor entre a década de 1980 e início dos anos 2000. Intitulado Jorge Aragão - O Enredo de um Samba, e escrito pelo jornalista e compositor João Pimentel, o material mostra o outro lado do artista, que vai além do palco.

  "É uma maneira das pessoas ficarem mais perto, me conhecerem um pouquinho mais, saberem o que  eu fiz, a minha trajetória, por onde eu andei, minhas dores de cabeça", comenta.

Conhecer os bastidores de Jorge Aragão significa, também, perceber a simplicidade com a qual ele gosta de levar a vida.  "Sempre digo que eu vivo  do meio, mas eu não vivo no meio. Quando eu desço do palco não saio com os holofotes sobre mim. Prefiro parar em qualquer lugar, comer  meu pãozinho com manteiga, um café com leite e viver o que é a realidade da vida da gente", observa.

Com esse jeito simples, Jorge passa longe da vaidade. Conhecido no meio como poeta do samba, por causa da beleza de muitas de suas letras, o compositor não se sente à vontade com o título. "Me incomoda  muito ser chamado assim porque eu conheço muitas pessoas que fazem poesias. E trazer isso para música é um negócio  difícil. Não projetei nada para isso. Mas me sinto feliz pelo reconhecimento que dão às minhas letras".

Ainda sem previsão para lançamento de uma turnê do projeto Sambabook, Jorge Aragão confirma que volta a fazer show em Salvador em outubro.

adblock ativo

Publicações relacionadas