adblock ativo

Inadimplentes têm chance de parcelar e negociar suas dívidas

Publicado segunda-feira, 07 de abril de 2014 às 07:59 h | Atualizado em 07/04/2014, 07:59 | Autor: Paula Janay alves
Eletrodomésticos - televisão
Eletrodomésticos - televisão -
adblock ativo

Consumidores endividados têm a partir desta segunda-feira, 7, mais uma chance para renegociar dívidas e conseguir benefícios em parcelamentos ou pagamentos com o Feirão Limpa Nome Online, da Serasa Experian.

Até 17 de abril, o consumidor pode acessar o site serasaconsumidor.com.br para negociar seus débitos diretamente com cerca de 90 empresas de diferentes segmentos como bancos, financeiras e redes varejistas.

O Serasa não tem dados sobre quantas pessoas na Bahia estão inadimplentes em seus cadastros. Já no SPC (Serviço de Proteção ao Crédito), 640 mil baianos estão com o "nome sujo".

É a segunda edição do Feirão Limpa Nome Online. Na primeira, 200 mil baianos se cadastraram no site e 13 mil conseguiram renegociar as suas dívidas. Foram cerca de 14.100 dívidas negociadas, o equivalente a aproximadamente R$ 18,8 milhões, só na Bahia.

Como participar

Para participar nesta edição, é preciso realizar um cadastro gratuito com o CPF do devedor. Após a primeira etapa, no cadastro pessoal estarão listadas todas as dívidas pendentes com as empresas participantes do Feirão.

Segundo o gerente de produtos de recuperações de crédito da Serasa Experian, Raphael Salmi, assim que fizer o cadastro, o consumidor terá propostas de pagamento em boletos bancários das dívidas que possui. As condições da negociação variam de empresa para empresa e podem se referir a descontos em juros, multas e variações de parcelamento.

Como exemplo, a rede Casas Bahia anunciou descontos de até 30% do valor do débito e parcelamento em até 16 vezes. Se o cliente não concordar com a proposta, haverá um chat e um telefone disponível para a negociação de outra forma de pagamento.

Raphael Salmi explica que é comum consumidores negociarem suas dívidas e voltarem a ficar inadimplentes em pouco tempo. Para isso não ocorrer, Salmi orienta que não se comprometa mais de 20 a 30% da renda com o pagamento das parcelas. "A dica que a gente sempre dá é fazer uma negociação efetiva, de modo que ele não volte a dever novamente, para que ele possa honrar aquilo que negociou", afirma Salmi.

Controle financeiro

Ao negociar as dívidas, o superintendente do Conselho Regional de Economia da Bahia (Corecon-BA), Bruno Sacramento orienta que o consumidor se informe com precisão como as taxas de juros serão renegociadas e se existirão descontos. "Se ele puder ajustar essas dividas com isenção de multas e juros e qualquer outra atualização, a proposta é mais convidativa", afirma Sacramento.

Após a renegociação, o próximo passo, segundo Sacramento, é manter o controle financeiro. "Não contraia novas dívidas. Se for possível, corte alguns gastos e reduza a quantidade de parcelas", diz o superintendente do Corecon-Bahia.

adblock ativo

Publicações relacionadas