adblock ativo

Plano de banda larga terá renúncia de R$ 1,4 bi

Publicado terça-feira, 03 de abril de 2012 às 11:57 h | Atualizado em 03/04/2012, 12:35 | Autor: Agência Estado
adblock ativo

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta terça-feira que será criado o Plano Nacional de Banda Larga que vai triplicar a rede de 11 mil para 30 mil quilômetros até 2014. Mantega disse que a renúncia fiscal para o programa é de R$ 461,5 milhões este ano e de R$ 970 milhões em 2013, um total de R$ 1,431 bilhão.

O ministro também anunciou a prorrogação do programa Um Computador por Aluno até 2015. Está suspensa a cobrança de IPI, PIS, Cofins e Cide para fabricantes de computadores portáteis na aquisição de matérias primas.

O ministro também anunciou uma desoneração de IPI, PIS e Cofins sobre aquisições no mercado interno e importações de insumos e bens da indústria de semicondutores.

Garantias - Mantega anunciou também a criação da Agência Brasileira de Garantias (ABGF), do Fundo Garantidor de Infraestrutura e do Fundo Garantidor do Comércio Exterior. Eles serão criados a partir da união de recursos de vários fundos garantidores, que hoje operam sem alavancagem. Segundo informações do ministério da Fazenda, o total de recursos disponíveis poderá atingir até R$ 25 bilhões.

A missão da ABGF será administrar os fundos garantidores e prover garantias para investimentos, exportações, pequenas empresas, setor aeronáutico, habitação social e crédito educativo. O objetivo, segundo o governo, é otimizar a administração e utilização dos recursos; concentrar o processo de concessão das garantias, com maior eficiência e redução do tempo de análise; aumentar alavancagem; e reduzir a necessidade de recursos do Tesouro Nacional.

adblock ativo

Publicações relacionadas