adblock ativo

Influenciadores digitais são aliados na divulgação de produtos e marcas

Publicado às | Atualizado em 02/10/2021, 13:31 | Autor: Mariana Bamberg
Maíra conta que parcerias, já no início, renderam 500 seguidores | Foto: Olga Leiria | Ag. A TARDE
Maíra conta que parcerias, já no início, renderam 500 seguidores | Foto: Olga Leiria | Ag. A TARDE -
adblock ativo

Engajamento é a palavra do momento, inclusive no mundo dos negócios. Quem tem bons números e forte interação nas redes sociais se tornou peça valiosa para as empresas. É por isso que os influenciadores digitais - especialistas quando o assunto é engajamento – são vistos agora como grandes aliados na hora de divulgar produtos ou marcas. Prova disso é que, segundo um estudo do Business Insider Intelligence em julho, o investimento global de marcas em influenciadores deve atingir entre US$ 5 bilhões e US$ 10 bilhões até 2022. O número é grande, mas a estratégia vem crescendo também entre micro e pequenos empreendedores.

Maíra Britto, por exemplo, é proprietária da pizzaria Premierpizza (@Premierpizzasalvador) e diz que já perdeu as contas de quantas parcerias fez com influenciadores. A ideia surgiu depois que um amigo que conhecia donos de perfis com relevância no Instagram abriu os olhos da empresária e fez a conexão com alguns influenciadores. O perfil da pizzaria já fechou parcerias que, logo de saída, renderam mais de 500 seguidores e hoje já soma mais de 22 mil.

“Pessoas se conectam com pessoas. Nenhuma indicação convence mais que boca-a-boca e influenciadores têm um megafone. Fazendo direitinho e com as pessoas certas, vale muito a pena”, revela Maíra.

A especialista em comunicação estratégica Fran Fraga explica que contar com um influenciador é ter uma voz que é respeitada e que, como o próprio nome diz, influencia um determinado público. Para ela, essas parcerias acabam funcionando como “um selo de confiança” nas marcas, o que pode ser aquele empurrãozinho final para que o potencial consumidor compre ou conheça a empresa.

“Influenciadores constroem com sua audiência uma relação de amizade e inspiração. É como a relação que temos com pessoas amigas. Quando elas nos indicam um produto ou um serviço, nós ficamos mais abertos a experimentar, afinal é alguém que confiamos. Mas os influenciadores ainda são vistos também como inspiração. Quando a audiência admira o estilo de alimentação, de se vestir ou de leitura de um influenciador, ela deseja seguir aqueles mesmos passos, por isso que eles têm tanta influência na decisão de compra”, explica.

Escolha dos parceiros

A especialista, no entanto, chama atenção para os cuidados na hora da escolha desses parceiros. Caso a marca e o influenciador não estejam com os mesmo valores alinhados, a parceria pode surtir um efeito negativo para ambos. “Isso porque os consumidores não escolhem mais o produto ou serviço apenas pelo preço ou funcionalidade. Com o aumento da concorrência, os valores da marca também se tornaram critérios importantes na escolha”.

“Caso o consumidor veja uma parceria que não reflete os valores que ele associava à marca, a reputação desta empresa pode ser abalada e isso impactará no valor da marca, na imagem da empresa e obviamente nas vendas. É preciso que os negócios escolham influenciadores que compartilhem os valores da marca”, alerta Fran Fraga.

Outro cuidado indispensável é a atenção com o público do influenciador. Fran explica que é preciso mapear parceiros que dialoguem com os consumidores da marca e não focar apenas no número de seguidores. E para que a parceria funcione, a dica de ouro é construir a estratégia de divulgação junto com o influenciador, já que é ele quem mais conhece seus seguidores. Maíra aprendeu isso. Ela conta que não escolhe mais suas parcerias de forma aleatória ou apenas pelo número de seguidores e cria a estratégia ao lado do parceiro.

É a própria Maíra que aborda os influenciadores que julga interessante para uma parceria. Ela faz isso por e-mail ou pelo bate-papo da rede social, mas espera uma ocasião interessante para fazer a proposta. Quando, por exemplo, a influenciadora está em busca de séries para maratonar, a empresária vai lá e oferece uma pizza para o momento, em troca de uma divulgação.

Entrar em acordo

O que a empresária não abre mão é de deixar acordado o que cada um vai ganhar com a parceira: se vai ser uma permuta com produtos ou vale, se vai ser uma publicidade paga, quais os tipos e quantidade de postagens. A forma de mensuração de resultados, segundo a especialista em comunicação estratégica, é também outro fator que deve ser acordado com antecedência. “Algumas empresas utilizam cupons ou vouchers para acompanhar as vendas feitas por intermédio do influenciador, outras acompanham as métricas da própria rede social solicitando a ele dados como alcance e o número de cliques”.

Mas para decidir o modelo de parceria ou escolher o influenciador, é preciso antes definir o objetivo da estratégia. Essa é a orientação da consultora em novos negócios e idealizadora da escola para empreendedores Cafeína, Anajúlia Paes. De acordo com ela, uma parceria, por exemplo, em que o parceiro receba comissão das vendas feitas através do cupom no nome dele só funcionará com influenciadores com um grande volume de seguidores.

“É preciso entender o que você quer através daquela parceria. Se é vender, dar visibilidade à marca ou gerar conhecimento para um público que ainda não a conhece. É imprescindível fazer esse recorte de objetivos, porque cada tipo de parceria e de influenciador vai gerar um custo para a empresa. Eu posso, por exemplo, fechar com um influenciador de muitos seguidores, buscando vendas, mas ele vai acabar gerando visibilidade. Um micro influenciador, com 3 mil a 5 mil seguidores, poderia ter me gerado vendas e um custo provavelmente menor”, explica.

A proprietária da Premierpizza já estava atenta a isso. Quando ela deseja, por exemplo, aumentar as vendas, busca influenciadores menores, que costumam indicar deliverys do mesmo ticket médio da sua pizzaria e que são da região onde está localizada a pizzaria, já que suas entregas limitam-se a um raio de 8 km. Já quando o objetivo é a exposição da marca, a empresária dá preferência a influenciadores com números maiores.

adblock ativo

Publicações relacionadas