Alunos da rede estadual se destacam nas Paralimpíadas Escolares em SP

Publicado quarta-feira, 24 de novembro de 2021 às 21:22 h | Atualizado em 06/12/2021, 15:42 | Autor: Da Redação

Promovido pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), a 14ª edição das Paralimpíadas Escolares recebe um total de 12 estudantes com deficiência da rede baiana de ensino, no Centro de Treinamento Paralímpico, em São Paulo. O evento esportivo é o maior do Brasil voltado para crianças e jovens com idades entre 12 e 17 anos.

Realizado desde 2009, a edição de número 14 do torneio ocorrerá até esta sexta-feira, 26. Coordenador executivo de Programas e Projetos Estratégicos da Educação da Bahia Marcius Gomes ressaltou a importância da participação de alunos da rede estadual na competição.

"Além de uma grande festa esportiva de alto nível, os jogos paralímpicos permitem a quebra de tabus pelas pessoas com deficiência, mostrando suas potencialidades e capacidade de realizar determinadas ações, o que gera inclusão dessas pessoas na sociedade. Isso ensina aos diferentes grupos sociais sobre superação e vontade de vencer, o que é mostrado por meio da superação de dificuldades e problemas existentes mediante a uma deficiência", afirmou.

Ao todo, cerca de mil estudantes estão participando das Paralimpíadas Escolares. Segundo o chefe da Delegação Baiana Paralímpica Escolar, Virgílio Leiro, a Bahia está sendo representada nas modalidades Goalball, Atletismo e Natação, nas quais estão competindo estudantes com deficiência intelectual, física e visual.

A estudante Renata Vitória Pereira, 17, que possui deficiência visual e estuda no Centro de Atendimento Educacional Especializado Professor Alberto de Assis, em Salvador, conquistou uma medalha de bronze no arremesso de peso F11 sub 18, na modalidade Atletismo.

"Esta medalha representa, para mim, uma conquista e superação, pois é uma modalidade que eu não conhecia. As Paralimpíadas Escolares são uma porta de entrada para o sucesso para as pessoas que não têm oportunidade no esporte e eu estou muito feliz", comemorou.

Na modalidade de Atletismo, o estado tem sido representado pelo estudante Felipe Cruz, 16, que possui deficiência intelectual e estuda na Escola Visconde de Itaparica, em Salvador. Mãe do aluno, Silvia Santos fez questão de acompanhá-lo e destacou a importância da atividade na vida do filho.

"Tem sido muito gratificante esta oportunidade que Felipe tem tido de estar aqui, pois ele tem se desenvolvido bastante através do esporte e isso tem mudando a vida dele para melhor", comentou.

Com deficiência visual, Samuel Maia, também de 16 anos e aluno do 9º ano do Colégio Estadual Duque de Caxias, afirmou que a prática esportiva tem refletido positivamente no seu rendimento escolar. Ele está competindo na modalidade Goalball.

"O esporte tem me ajudado muito a melhorar as minhas notas na escola e me sinto feliz por estar jogando e me interagindo com pessoas de lugares diferentes", afirmou.

Publicações relacionadas