adblock ativo

Baiano, Lyoto Machida desafia campeão no UFC 140

Publicado sábado, 10 de dezembro de 2011 às 15:22 h | Atualizado em 10/12/2011, 15:42 | Autor: Marcio Menezes e Roberto Rodrigues
adblock ativo

De Belém (PA) - A Bahia e seus filhos cascudos estão no centro das atenções do mundo do MMA. Na madrugada deste sábado, 10, para domingo, em Toronto, no Canadá, Lyoto Machida, soteropolitano radicado em Belém (PA) vai buscar o cinturão dos Meio-Pesados, que pertence a Jon “Bones” Jones, seu oponente na principal luta do UFC 140.

De quebra, as feras de Vitória da Conquista, os gêmeos Rodrigo Minotauro e Rogério Minotouro, estão entre os destaques do card da noite, enfrentando, respectivamente, Frank Mir e Tito Ortiz. O evento começa às 20h50 (horário de Brasília).

O orgulho baiano de suas feras no UFC ganhou ainda mais força recentemente, graças a um filho adotivo: Júnior Cigano, catarinense residente em Salvador, atual dono do cinturão dos Pesos-Pesados. No último dia 12, na Califórina (EUA), Cigano derrotou Cain Velasquez, na luta principal do UFC on FOX.

A luta - O choque entre Machida, 33 anos, com o campeão Jon Jones, 24, já era o mais esperado desde que o atual fenômeno do UFC tirou o cinturão do brasileiro Maurício “Shogun” Rua, a quem atropelou no octógono do UFC 128.

Especialistas já diziam que o carateca era o único a fazer frente ao estilo versátil de Jones. Ao ser convidado a enfrentá-lo, Lyoto comemorou a chance de recuperar o título, perdido em revanche justamente para Shogun.

Para fazer bonito na noite deste sábado, Lyoto montou um “camp” completo, com técnicos e sparrings para cada modalidade do MMA, graças a patrocínios inéditos. Ele estudou sozinho e ao lado da equipe cada movimento do norte-americano em várias sessões de vídeo. A envergadura do rival (2,15m) é uma das maiores preocupações, além, claro, do “jogo” completo de ataque, que inclui as costumeiras cotoveladas giratórias e joelhadas. “Vou para a guerra”, prometeu.

A altura seria outra vantagem do atual campeão, que tem 1,94 metro, contra 1,86 do desafiante brasileiro. Embora muitos possam imaginar que será uma luta de Davi contra Golias, o UFC é pródigo em exemplos de que tamanho não é necessariamente documento. Uma fã de Lyoto em Belém, a esteticista Verônica Santos, 48, citou o ditado segundo o qual “quanto maior for a árvore, melhor é a queda”.

Belém mobilizada - Na capital paraense, a expectativa pela participação do carateca cresce com o passar das horas. Na Academia Paraense de Artes Marciais (Apam), da família Machida, um grande telão será mais uma vez montado para mostrar o combate.

Pontos turísticos de Belém, como a Doca de Souza Franco, tradicional ponto de comemorações da capital paraense, espera centenas de espectadores em seus bares e restaurantes. Em 2009, quando Lyoto foi campeão, houve carreata em plena madrugada.

adblock ativo

Publicações relacionadas