CR7 diante da ameaça de ficar de fora de sua última Copa

Repescagem europeia tem jogos decisivos de Portugal e Itália a partir desta quinta-feira, 24

Publicado quarta-feira, 23 de março de 2022 às 19:03 h | Atualizado em 23/03/2022, 19:03 | Autor: AFP
Se conseguir a classificação, Cristiano Ronaldo entraria no restrito clube de jogadores que disputaram cinco Copas do Mundo
Se conseguir a classificação, Cristiano Ronaldo entraria no restrito clube de jogadores que disputaram cinco Copas do Mundo -

Aos 37 anos, a Copa do Catar-2022 poderá ser a última de Cristiano Ronaldo, desde que Portugal se classifique na repescagem, que começa nesta quinta-feira, 24, no Porto contra a Turquia (16h45, horário de Brasília). Em caso de vitória, os campeões europeus de 2016 disputariam a vaga na terça da próxima semana contra a Itália, atual campeã continental, ou a Macedônia do Norte, também no Porto. 

Se conseguir a classificação, CR7 entraria no restrito clube de jogadores que disputaram cinco Copas do Mundo. A do Catar também seria seu décimo torneio internacional consecutivo, todos desde a Eurocopa-2004 (e Portugal disputou todos desde a Euro-2000). 

>>Acompanhe as principais noticias do mundo do esporte

Por outro lado, a eliminação do torneio (que será disputado de 21 de novembro a 18 de dezembro), poderá significar o fim da era de ouro do futebol português, liderada pelo cinco vezes vencedor da Bola de Ouro, com o título europeu em 2016 como ápice. 

Não é a primeira vez que Cristiano Ronaldo se encontra nesta situação, pois passou por ela antes da Eurocopa-2012 e do Mundial-2014, e até agora sempre foi bem sucedido. 

Em 2011, o então atacante do Real Madrid marcou dois gols contra a Bósnia-Herzegovina e dois anos depois balançou as redes quatro vezes contra a Suécia de Zlatan Ibrahimovic.

Lampejos de genialidade

Presente em todos os grandes torneios desde o início da sua carreira internacional em 2003, Cristiano Ronaldo sempre encontrou uma forma de marcar gols. 

Na campanha das eliminatórias europeias que terminou em novembro, o atual atacante do Manchester United marcou seis vezes em sete jogos... mas, não nos dois últimos, um empate fora de casa com a Irlanda (0-0) e a derrota em casa para a Sérvia (2-1) que levou os portugueses à repescagem.

Embora não alcance a marca de 50 gols por temporada desde 2018, Cristiano Ronaldo ainda é capaz de oferecer lampejos de genialidade, como há duas semanas quando fez um hat-trick em um jogo da Premier League, o 59º de sua carreira, estabelecendo um novo recorde mundial 807 gols como profissional. 

Sem a força física do passado e muitas vezes escalado como único atacante da sua seleção, Cristiano Ronaldo está cada vez mais dependente dos seus companheiros, quando até há pouco tempo estava habituado a carregar sozinho o peso da seleção. 

Após a derrota para a Sérvia, a imprensa portuguesa criticou o técnico Fernando Santos pela sua incapacidade de montar uma equipe que jogue bom futebol apesar de ter um elenco repleto de qualidade.

Defesa desfigurada

"Sabemos que temos talento. Se conseguirmos ter um bom espírito de equipe, estaremos em condições de superar essas eliminatórias", disse o atacante do Liverpool Diogo Jota em entrevista coletiva nesta terça-feira. 

Se por um lado Fernando Santos tem muitas opções no setor ofensivo, onde também estão presentes Bruno Fernandes, Bernardo Silva e João Félix, a seleção portuguesa chega à repescagem com uma defesa desfigurada. 

O zagueiro do Manchester City, Ruben Dias, o lateral do Wolverhampton, Nelson Semedo, o companheiro de clube Ruben Neves e o meia do Lille, Renato Sanches, perderão a partida devido a lesão, assim como o goleiro do Lyon, Anthony Lopes. 

Já o veterano Pepe (de 39 anos) testou positivo para covid-19 na segunda-feira e vai ficar de fora pelo menos contra os turcos. O lateral do Manchester City, João Cancelo, está suspenso para o primeiro jogo. 

"Não devemos dar demasiada importância aos que não estão (...) Temos confiança em todos os que foram convocados para substituí-los", disse Diogo Jota. 

Em recente entrevista à AFP, o ex-técnico do Monaco, Leonardo Jardim, também se mostrou confiante: "Temos um grande elenco. Também tenho total confiança no nosso treinador. Fernando Santos é o único que conquistou um título com Portugal e acho que ele vai classificar a seleção".

Publicações relacionadas