adblock ativo

Bahia e Guto Ferreira reencontram Ceará em briga para fugir do Z-4

Publicado às | Atualizado em 26/10/2021, 23:29 | Autor: Eduardo Cohim
Em jogo de seis pontos, Guto reencontra o Ceará | Foto: Felipe Oliveira | EC Bahia
Em jogo de seis pontos, Guto reencontra o Ceará | Foto: Felipe Oliveira | EC Bahia -
adblock ativo

O torcedor tricolor já encara o adversário desta quarta-feira, 27, como um rival. Bahia e Ceará protagonizaram duelos importantes nos últimos anos, como na semifinal da Copa do Nordeste em 2018, e as decisões de 2020 e 2021. Tem um elo que os une também na beira do campo. O técnico Guto Ferreira, que comanda o Bahia em sua terceira passagem, esteve no Ceará nessas duas finais. Agora, Esquadrão e Vozão se enfrentam com sentimentos mistos, em jogo atrasado da 23ª rodada do Brasileirão.

Guto busca uma revanche contra o time que o recém demitiu, quando ocupava a oitava colocação do Campeonato Brasileiro. O triunfo para ele e seu novo (velho) time vale uma ultrapassagem direta na tabela da Série A – o Ceará tem 32 pontos, em 14° lugar, um ponto e uma posição a mais que o Bahia. A partida está marcada para as 19h, na Arena Fonte Nova.

As finais da Copa do Nordeste entre Bahia e o Ceará de Guto Ferreira foram jogos duros. O Alvinegro foi campeão em 2020 vencendo as duas partidas, ambas em Pituaçu – por conta da pandemia, a fase final do Nordestão foi disputada toda na Bahia. Um sonoro 3 a 1, de virada, no jogo de ida, e um 1 a 0 sólido na volta. Mas perdeu a decisão de 2021, em confronto que terminou empatado, mas foi decidido nos pênaltis.

Dessa vez, a expectativa é de um Vozão muito mais fragilizado. Desde a chegada de Tiago Nunes, sucessor de Guto, o time saiu dos trilhos. Já são seis jogos seguidos sem vitória, e apenas uma nas últimas 13 rodadas.

Do outro lado, quem agradece é o Bahia. Desde a chegada do ex-técnico do Ceará, o time embalou. Ainda não perdeu sob o comando de Guto. São dois empates e dois triunfos, com cinco gols marcados e nenhum sofrido.

“O equilíbrio é muito importante. Quando todos se comprometem a ajudar na marcação, fica muito difícil levar gol. Todos participam na parte defensiva, como todos participam na parte ofensiva. Então isso ajuda bastante ali na defesa”, explicou o zagueiro Luiz Otávio sobre a sequência ilesa do Esquadrão.

Luiz Otávio tem vivido bom momento desde o retorno de Guto. Marcou gol no domingo, contra seu ex-clube, a Chapecoense, e aproveitou para elogiar o trabalho do treinador.

“Guto tem um vínculo muito forte com o Bahia. Quando ele chegou, o pessoal – não só os jogadores – se animou pelo nome, que é um grande treinador, mas o Bahia em si se animou por ter um treinador como Guto, que é bem conceituado por aqui. Então, isso ajudou, trouxe confiança, nos trouxe equilíbrio, e está dando no que está”.

Maré boa

Se há umas semanas parecia que só tinha notícias ruins no Bahia, agora que a fase do time mudou, a maré veio junto. O governador Rui Costa anunciou um aumento da liberação do público nos estádios na Bahia. O percentual, que antes era de 30%, agora chega a 50%. Com isso, a Fonte poderá contar com cerca de 23 mil torcedores.

O argentino Lucas Mugni, titular em todos os jogos desde que havia estreado, teoricamente à disposição de Guto, após cumprir suspensão. Contudo, o meia sentiu dores na coxa e não treinou. Por isso, o Bahia deve ir a campo sem ele, com o mesmo time que derrotou a Chapecoense.

Uma notícia positiva é a melhora na condição física de Índio Ramirez, que atuou, contra a Chape, pela primeira vez em mais de oito meses. No entanto, Rossi e Marcelo Cirino ainda não devem estar presentes, assim como o goleiro reserva Matheus Teixeira, que sofreu uma lesão no joelho durante o treino.

Do lado cearense, a maré não ajuda. A presença de mais torcedores adversários não é um sinal positivo para o time que não venceu fora de casa no Campeonato Brasileiro. O Ceará tem a pior campanha entre os visitantes, com oito empates e cinco derrotas. A última vitória do Vozão fora de seu mando foi há mais de cinco meses, contra o Ferroviário, pela semifinal do Campeonato Cearense.

Tiago Nunes não poderá contar com o lateral direito Buiú e os atacantes Jacaré e Wendson, que se recuperam de lesão. O lateral direito Igor, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, também é uma ausência. Em compensação, o meio-campista Vina está de volta, após cumprir gancho.

adblock ativo

Publicações relacionadas