Bahia passeia contra o Vasco e se distancia da zona de rebaixamento

Publicado quarta-feira, 07 de outubro de 2020 às 19:00 h | Atualizado em 21/01/2021, 00:00 | Autor: Alex Torres* e Redação

O Bahia fez sua melhor partida até o momento no Brasileirão Série A e venceu o Vasco da Gama, na noite desta quarta-feira, 7, pelo placar de 3 a 0, no estádio de Pituaçu, em Salvador. O placar final da partida foi construído todo na etapa inicial. Ex-jogadores do Vasco, Rossi e Gilberto marcaram os dois primeiros gols, e Clayson fechou a contagem.

>>Veja tabela de classificação e jogos da Série A

Com o placar maiúsculo, o Bahia conseguiu dar um salto na tabela ao fim da 14ª rodada. Atualmente, o Esquadrão ocupa a 13ª colocação na tabela de classificação e se afastou em três pontos do Coritiba, primeira equipe dentro da zona de rebaixamento.

Após vencer Botafogo e Vasco, o próximo compromisso do Tricolor será longe de Salvador, contra outra grande carioca. Em duelo de tricolores, Bahia e Fluminense se enfrentam no domingo, 11, às 16h, no estádio do Maracanã, pela 15ª rodada do Brasileirão Série A.

Passeio Tricolor

O Tricolor começou mais ligado na partida. Logo aos 4 minutos, Clayson puxou contra-ataque e tocou para Gregore que, de fora da área, chutou rasteiro e Fernando Miguel segurou firme. A resposta do Vasco veio aos 7, em finalização de Marcos Junior que passou a esquerda do goleiro Douglas Friendrich.

As laterais eram responsáveis pelas principais tramas ofensivas do Bahia. Aos 9 minutos, Clayson cruzou nas costas de Pikachu e Rossi antecipou Fernando Miguel para abrir o placar no estádio de Pituaçu e honrar, pela primeira vez na partida, a tão temida 'Lei do Ex'.

Quatro minutos depois, em cobrança de escanteio, Lucas Fonseca levou perigo em cabeçada que passou por cima da meta do goleiro vascaino. O Bahia seguia melhor na partida e impedia as progressões do Vasco. Aos 22, o atacante Thalles Magno até tentou, mas foi parado por Juninho.

Com a defesa mal postada, o técnico Ramon Menezes tentava passar orientações para Ricardo Graça, na tentativa de inibir as subidas do Esquadrão. No entanto, o zagueiro sentiu minutos depois e deu lugar a Miranda. Aos 31, Ernando arrancou pela direita, passou por Bruno Gomes e entregou um presente para Gilberto ampliar e cumprir a 'Lei do Ex' pela segunda vez.

Depois do segundo gol, a defesa vascaína parecia 'entregue'. Aos 33, Rossi avançou completamente livre de marcação, após Pikachu e Miranda baterem cabeça. O atacante rolou para Juninho que aparecia sozinho pelo meio, mas o zagueiro conseguiu perder uma oportunidade inacreditável e mandou por cima do goleiro Fernando Miguel.

Aos 37, Clayson passou por Pikachu mais uma vez e cruzou para Gilberto, mas o centroavante chegou atrasado e não alcançou a bola. A noite do lateral-direito do Vasco realmente não era boa. Em cruzamento vindo da direita, Pikachu tentou afastar de cabeça e entregou de bandeja para Clayson dominar e estufar as redes, fazendo o Bahia ir para o vestiário com ampla vantagem de 3 a 0.

Antes do fim da primeira etapa, o Vasco ainda teve uma última chance nos pés de Bruno Gomes. Aos 49, o volante recebeu passe de Talles Magno e finalizou no centro do gol, sem perigo para o goleiro Douglas Friendrich.

Vantagem administrada

Para o segundo tempo, Ramon optou por mexer no time e queimou três alterações de uma só vez. Os atacantes Vinicius e Talles Magno, e o volante Marcos Junior, saíram para dar lugar ao lateral Cayo Tenório e os meias Gabriel Pec e Carlinhos. Mesmo assim, a primeira chegada ainda foi do Bahia em cabeçada de Gilberto, com menos de um minuto, que Fernando Miguel caiu para encaixar.

A resposta vascaína apareceu aos 3, após Cano receber passe dentro da área e finalizar com perigo ao gol de Douglas. No minuto seguinte, o Bahia puxou contra-ataque pela direita e mandou na área. No bate-rebate, Rossi finalizou, a bola desviou em Castán e bateu na mão de Fellipe Bastos, mas o árbitro não deu a penalidade.

O Vasco chegou novamente com Carlinhos, de fora da área, aos 7, que passou a esquerda de Douglas. Quem também tentou arriscar de longe foi Fellipe Bastos, aos 12, levando muito perigo à meta tricolor.

Com boa vantagem no placar, o Bahia parecia acomodado na segunda etapa, sem agredir com muito ímpeto e a defesa bem postada atrás. Os lances de perigo do Gigante da Colina costumavam ser em chutes de longe ou bolas alçadas na área. Aos 18, o Vasco jogou bola na área e Douglas saiu de soco. No rebote, Gabriel Pec cabeceou de cobertura e mandou por cima.

Se a situação já estava ruim para o time carioca, ficou pior ainda após Bruno Gomes matar o contra-ataque do Bahia com falta, receber o segundo amarelo e ser expulso do jogo. Com um a mais no jogo, Mano Menezes promoveu algumas mudanças. Tirou meia Daniel para colocar Ronaldo, e trocou um atacante por outro, saiu Rossi e entrou Élber.

Pouco tempo depois, o volante Ramon também entrou no lugar de Gregore. Com menos de três minutos em campo, aos 27, Ramon deu seu cartão de visitas em boa finalização de fora da área que Fernando Miguel caiu para defender. No minuto seguinte, Pec avançou pela esquerda e bateu cruzado para Douglas encaixar.

Aos 30 minutos, Mano deu mais jovialidade no time, colocando Saldanha e Fessin no lugar de Gilberto e Clayson, respectivamente. A entrada da dupla trouxe duas chances para o Bahia. A primeira com Saldanha, aos 35, em chute de fora da área que desviou na defesa adversária e a segunda dois minutos depois, após Fessin driblar dois e ser desarmado na hora da conclusão.

Com o fim da partida se aproximando, o Vasco parecia não ter mais vontade de buscar algum gol. Em contrapartida, o Tricolor sabia administrar a vantagem numérica e de placar, conduzindo os minutos finais sem ser muito agredido pelo seu adversário.

*Sob supervisão do editor Nelson Luis

  •  
 


Publicações relacionadas