adblock ativo

Bellintani reconhece erros e explica demissão de Dabove

Publicado às | Atualizado em 07/10/2021, 09:08 | Autor: Daniel Genonadio
Presidente detalhou os motivos da demissão do treinador argentino | Foto: Felipe Oliveira | EC Bahia
Presidente detalhou os motivos da demissão do treinador argentino | Foto: Felipe Oliveira | EC Bahia -
adblock ativo

Quem acompanha o Bahia foi pego de surpesa quando no final da tarde da última quarta-feira, 6, o clube anunciou a demissão do técnico Diego Dabove, após apenas seis jogos no comando da equipe. O argentino foi dispensado após a derrota contra o Corinthians na última rodada. Ao todo, ele venceu apenas um jogo e encerrou rapidamente a sua primeira passagem pelo futebol brasileiro (confira a entrevista completa abaixo).

Para explicar os motivos que levaram à demissão do treinador, o presidente do Bahia, Guilherme Bellintani, concedeu entrevista a dois jornalistas escolhidos pelo clube através do aplicativo oficial. Ele detalhou as circunstâncias que levaram a saída do técnico argentino e justificou a falta de experiência no futebol brasileiro como principal fator. Na avaliação do gestor, a 'correção do rumo' precisou ser feita rapidamente, para evitar o rebaixamento do Tricolor para a Série B.

"Momento importante, ruim. Primeiro, pela pontuação no campeonato, é a segunda rodada consecutiva na zona de rebaixamento. E uma decisão até estranha para a cultura do Bahia, de preservar os resultados ruins por mais tempo até decidir uma troca. Mas tomamos a decisão com convicção, compartilhando, dividindo opiniões. Entendemos que houve erro na chegada de um treinador estrangeiro no meio do campeonato, que demora para conhecer o elenco, a competição. E a gente entendeu que foi necessário corrigir o rumo, e a demissão teve o objetivo de trazer uma correção de rumos, buscando um treinador com mais conhecimento do elenco, da competição, entendendo que o momento requer atitude imediata, urgente", afirmou Bellintani em entrevista ao aplicativo oficial do clube.

O presidente reconheceu que o erro foi contratar o treinador argentino e que uma correção era necessária o mais rápido possível. "Mesmo que seja uma decisão estranha, pelo tempo de Dabove no clube, a gente entendeu que o trabalho não estava evoluindo. Foi a melhor decisão para corrigir o erro que cometemos de trazer um treinador estrangeiro sem conhecimento do clube e da competição no meio do campeonato", completou.

Bellintani detalhou os fatores que pesaram na escolha de demitir o treinador argentino em tão pouco tempo. Ele citou até mesmo detalhes táticos, o fato do Bahia ter a pior defesa do campeonato e o desempenho de outras equipes, que em sua avaliação, tem elencos inferiores ao do Tricolor.

"Não tenho nada contra um treinador que escolha, taticamente, um modelo de jogo de ligação direta. O que não posso concordar é uma ligação direta em que a gente perca toda primeira e segunda bola dentro de campo. Acho que o treinador que execute bem as suas ideias, Cuiabá, Juventude, América-MG, Fortaleza... Que têm elencos equivalentes ao nosso. O Ceará, que investiu mais que a gente... Atlético-GO... São clubes que jogam de maneiras diferentes. Mas todos jogam com uma defesa protegida. Não posso admitir que a gente vai escapar da Série B com a pior defesa do campeonato. O treinador que vier tem que corrigir. Nossa defesa está muito exposta", explicou o presidente.

No fim da noite, o Bahia já anunciou o retorno de Guto Ferreira, para uma terceira passagem no clube, desta vez com a missão de evitar o rebaixamento. Durante a entrevista, o treinador ainda não havia sido anunciado, mas Bellintani já havia dito o que espera que o novo comandante implemente na equipe para impedir o descenço.

"O treinador tem que buscar o lugar em que nosso elenco tem que estar, que é, no mínimo, meio de tabela. A busca por um novo treinador é para que ele consiga colocar o nosso elenco num nível mais próximo do patamar que ele tem. A questão de equilíbrio mental... Quando o Bahia toma um gol, os jogadores baixam a cabeça. Isso não é resultado de culpas individuais, mas de formação coletiva. Tenho a expectativa de que o novo treinador mexa com ânimo, organize taticamente, consiga ter performance para permanecer na Série A, que infelizmente é nosso objetivo. Reconhecer esse objetivo é fundamental para que a gente o alcance", analisou ele.

Guto Ferreira fará sua reestréia no comando do Bahia contra o Athletico Paranaense no próximo sábado, 9, às 19h, na Arena da Baixada.

adblock ativo

Publicações relacionadas