adblock ativo

Com boa estreia de Roger, Soares ganha opções no Bahia

Publicado quarta-feira, 16 de setembro de 2015 às 22:45 h | Atualizado em 16/09/2015, 23:54 | Autor: Vitor Villar
Roger
Roger -
adblock ativo

Se a atuação na partida de estreia, no empate em 2 a 2 com o Ceará, for suficiente para julgar o potencial de Roger, o torcedor do Bahia pode ficar aliviado: aparentemente, o técnico Sérgio Soares encontrou o centroavante que procurava desde o início do ano.

O reforço marcou o primeiro gol do Bahia, cabeceando escanteio cobrado por Eduardo, e deu o passe para o segundo, feito por Tiago Real. Além disso, criou mais duas jogadas que acabaram em chutes perigosos e finalizou duas vezes, todas corretamente.

O problema é que o camisa 39 chegou à equipe quando o comandante começava a defini-la, e estreou justamente na vaga de Kieza, artilheiro do time na temporada, com 22 gols, que estava suspenso.

Por isso, a pergunta a seguir se tornou inevitável: quem deve sair - se é que deveria sair alguém - para que o atacante continue titular? Esse foi o principal assunto entre os tricolores ontem, de olho no duelo de sábado, 19, às 16h30, contra o Sampaio Corrêa, na Fonte.

Decidimos, então, levantar as opções que Soares tem. Dentre as mais convencionais, mexendo apenas no grupo de meio-campo e ataque, quatro se destacam .

Nos dois jogos anteriores ao  contra o Ceará, o técnico repetiu a formação com Yuri, Gustavo Blanco, Tiago Real e Eduardo; Maxi e Kieza. O exercício a seguir tem como base esse time.

Opções

A primeira opção seria a volta de Kieza ao comando do ataque, com Roger na reserva. Nesse caso, o capitão e o novo companheiro brigariam pelo mesmo espaço na formação.

Se esse for o caso, Roger se diz tranquilo: "Ah, tudo bem... Já faz algum tempo que essa vaidade eu não tenho mais. Se tiver que esperar por outra chance, não tem problema".

Outra possibilidade teria Roger ao lado de Kieza. Assim, o capitão seria deslocado para jogar mais aberto, na função hoje exercida por Maxi, que seria o sacado da vez.

Se for essa a escolha, Roger também se diz satisfeito: "Acho que funciona, até porque ele (Kieza) é mais leve, sabe jogar pelas beiradas e a gente podia trocar de posições na frente".

Há também os que apoiam o retorno do esquema com três atacantes e três armadores, usado por Soares no início do ano, mas que perdeu liga na Série B graças à má fase de Léo Gamalho e à não adaptação de Alexandro - os centroavantes que já deixaram o Tricolor.

Para tanto, Eduardo teria de ser sacado, dando mais cadência ao meio-campo. O problema é que o meia lidera o ranking de assistências do Bahia: a sétima foi justamente para Roger, no primeiro gol contra o Ceará. Por fim, Soares pode armar um time mais ofensivo, sem um dos meias/volantes Gustavo Blanco e Tiago Real. Nesse caso, Kieza também cairia por um dos lados do campo, com Maxi e Eduardo nas suas funções atuais.

No retorno a Salvador, ontem à tarde, o centroavante reforçou que não se preocupa com a discussão: "Eu vim para ajudar, principalmente quando não tivermos Kieza e Maxi, que são nossas referências, em campo. Foi o que aconteceu ontem (anteontem)".

adblock ativo

Publicações relacionadas