adblock ativo

Patrick de Lucca exalta retorno do torcedor à Fonte: "Energia surreal"

Publicado às | Atualizado em 06/12/2021, 15:37 | Autor: Alex Torres
A partida contra o Palmeiras foi a primeira do volante com o torcedor no estádio | Foto: Antônio Muniz | EC Bahia
A partida contra o Palmeiras foi a primeira do volante com o torcedor no estádio | Foto: Antônio Muniz | EC Bahia -
adblock ativo

Uma das principais peças no setor de meio-campo do Bahia no primeiro semestre, o jovem volante Patrick de Lucca havia perdido espaço na equipe nos últimos meses, principal sob a batuta do argentino Diego Dabove. No entanto, desde que Guto Ferreira retornou ao Tricolor, o atleta tem conseguido voltar a desempenhar o bom futebol de outrora.

>>Veja tabela de classificação e jogos da Série A

Agora, a meta do jogador é justamente manter a regularidade para permanecer entre os onze titulares de 'Gordiola'. Durante coletiva realizada na tarde desta sexta-feira, 22, Patrick de Lucca falou sobre a importância de continuar tendo boas apresentações, principalmente para o seu primeiro ano como profissional.

"Eu tenho que buscar minha regularidade, como todos buscam. Sei que é meu primeiro ano como profissional, porque na base não temos tantas partidas. Já fiz quase 50 paridas em uma temporada. Eu tento buscar essa regularidade como todo jogador de alto nível", afirmou o volante.

Alçado ao time principal no fim da temporada passada, que se encerrou em fevereiro deste ano, Patrick de Lucca nunca havia tido a experiência de estar em campo com o apoio do torcedor. O sonho foi realizado na semana passada, contra o Palmeiras, e descrito como uma "energia surreal" pelo jogador de 21 anos.

"(Torcida tem) Importância fundamental. Primeiro jogo como profissional com a torcida, então senti uma energia surreal. Podia ter maior capacidade, mas eu estava sentindo que tinha 50 mil pessoas, então foi uma energia surreal. Por isso que a gente conseguiu ir para a cima. A gente não conseguiu o resultado, mas esse apoio será fundamental", exaltou.

Diante da Chapecoense, no domingo, 25, o Bahia ainda entra em campo com uma outra missão: seguir sem tomar gols. Dono da segunda pior defesa do campeonato, o Esquadrão não foi vazado nas últimas 3 partidas, justamente período em que Guto Ferreira assumiu a equipe. O objetivo é importante também na luta contra a zona de rebaixamento.

"Foram três jogos sem levar gols. O time está mais compacto, a defesa não fica tão exposta. É uma melhora dos 11, todos marcando e atacando. Desse jeito, nosso time fica melhor, e eu consigo chegar à frente para ter condição de finalizar", projetou Patrick.

Rendimento em casa

Diferente de outros anos, o Bahia não tem conseguido obter bons resultados dentro de seus domínios. Até o momento, a equipe só venceu 4 jogos em Salvador, entre 12 disputados, além de 3 empates e 5 derrotas. O Tricolor tem a 18ª campanha como mandante na Série A.

"A gente não vem ganhando em casa, mas pegamos adversários difíceis, na parte de cima da tabela. A gente sabe que vai ser complicado, mesmo com a Chapecoense em último lugar. A gente também pegou Bragantino e Palmeiras, que são jogos difíceis. Então, a gente tem que fazer a nossa parte para tentar tornar o jogo fácil", completou o volante.

adblock ativo

Publicações relacionadas