Zagueiro Lucas Fonseca ressalta cuidados durante a quarentena

Publicado quarta-feira, 24 de junho de 2020 às 14:09 h | Atualizado em 24/06/2020, 14:42 | Autor: Jeferson Jesus*

Um dos ídolos do elenco e o jogador com mais tempo de casa no Bahia, o zagueiro Lucas Fonseca foi o escolhido para entrevista coletiva na manhã desta quarta-feira, 24, no CT Evaristo de Macedo. O xerife Tricolor falou como sua experiência deve contribuir para o retorno aos jogos e sobre a disputa pela posição o com a chegada do zagueiro Ignácio ao time principal.

Questionado sobre o tempo sem partidas devido à pandemia de Covid-19, o jogador disse já ter passado por um tempo sem jogos, porém por outro motivo. "Já passei um período inativo devido à uma lesão que eu tive na fíbula, um rompimento no ligamento do tornozelo esquerdo. Fiquei um ano parado, é uma situação diferente, nunca tinha passado por uma situação de ordem mundial assim, mas já fiquei inativo por um certo tempo", declarou.

Treinos em casa

Sobre os treinos em casa, o zagueiro não considera que o tempo sem atividades presenciais seja totalmente negativo e ressaltou a importância do cuidado ao corpo feito pelos atletas. "Hoje em dia o profissional que se preza, que entende o caminho a ser seguido para manter o alto nível, tem todo um processo a ser feito. Claro que tem ter seu momento de férias, mas ele tem que está sempre se cuidando, pensando no corpo como ferramenta de trabalho", conta

"Não diria que foi um semestre perdido, pois estávamos trabalhando em casa. Quem perdeu foi quem ficou parado. Chegaremos em um nível bom, já estamos fazendo treinos que serão importantes no retorno", completou.

Evolução do tricolor

Com mais de 100 jogos pelo tricolor entre duas passagens, o atleta ignora os números e relaciona a quantidade de jogos ao seu desempenho em campo. "Pra mim número de jogos são insignificantes, acho que o mais importante, é corresponder dentro de campo quando se é exigido. Acredito que o número de jogos sejam consequência disso, qualquer jogador que solucione os problemas do time sempre estará sendo requisitado", explica.

"Independente de elenco forte, o futebol depende de resultados diante de boas gestões. Estou aqui há um certo tempo e venho acompanhando essa evolução. O nível competitivo vem se elevando, o Bahia vem crescendo em vários quesitos, os resultados virão em um futuro próximo", almeja o zagueiro.

Incertezas e retorno

Sobre o retorno aos jogos o defensor criticou as contradições dos profissionais de saúde e explicou que é necessário realizar um bom planejamento para a volta aos gramados.

"É difícil para nós e para todos que dependem do seu trabalho. Estamos treinando, mas ainda não existe uma previsão de volta. Há contradições entre especialistas, se quem estudou, é gabaritado para falar sobre o assunto, não tem certeza, para nós, que somos leigos, se torna mais difícil ainda. Temos que ter cabeça boa, inteligência para fazer o planejamento correto, não ficar parado, chegar a um nível bom para o retorno" disse.

Disputa sadia

Sem contratações durante o período de paralisação, o Bahia ganhou caras novas no elenco, como o jovem zagueiro Ignácio, titular da equipe de transição que disputava o Campeonato Baiano. Falando sobre a disputa por posição, Lucas exaltou a concorrência sadia.

"Em termos de competitividade dentro do elenco, é sempre bom ter todo mundo no mesmo nível, claro que alguns vão estar em um nível acima. Temos uma disputa sadia, onde cada um ajuda o outro da melhor forma. Cabe ao jogador demonstrar o seu melhor, para que o companheiro que ver o outro em campo saiba o motivo," finalizou o jogador de 34 anos.

Publicações relacionadas