Lopes reitera ambiente positivo, mas diz que extracampo pode interferir

Publicado sexta-feira, 03 de setembro de 2021 às 22:05 h | Atualizado em 06/12/2021, 15:29 | Autor: Alex Torres

Em meio a um caos político nos bastidores, que culminou com o afastamento do presidente Paulo Carneiro, o Vitória entra em campo neste sábado, 4, para enfrentar o Operário-PR, pela 22ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série B. A partida pode ser imprescindível para o Leão seguir na luta contra a zona de rebaixamento.

>> Veja tabela de classificação e jogos da Série B

Com 20 pontos na tabela de classificação, um triunfo neste sábado poderia fazer o Rubro-Negro ultrapassar Ponte Preta e Vila Nova-GO. Na coletiva pré-jogo, realizada na tarde desta sexta-feira, 3, o treinador da equipe Wagner Lopes falou sobre as possibilidades do extracampo do clube interferir nos jogadores em campo.

"Não vou ser hipócrita para falar que não interfere. Cada jogador tem um sentimento, cada ser humano faz uma leitura diferente da situação. Por mais que a gente tente blindar os jogadores, por mais que o nosso executivo de futebol tente isolar todo mundo da parte política, claro que todo mundo volta para casa, todo mundo lê a internet, rede social, mídia [...] Qualquer ser humano ficaria preocupado se tivesse os problemas internos que o Vitória tem. Não adianta querer esconder o sol com a peneira. A gente abre, fala a verdade. Acho que em alguns momentos atrapalha sim, embora toda nossa diretoria esteja nos blindando. É muito individual. É de cada um. Na minha visão, não interfere", afirmou o comandante.

Desde que assumiu o clube, em meados de agosto, após a saída de Ramon Menezes, o atual técnico ainda não perdeu sob o comando do Leão da Barra. Foram quatro jogos, com uma vitória e três empates. Mesmo com a questão política turbulenta, o treinador ratificou o clima bom existente dentro do plantel.

"Nosso ambiente é muito positivo, jogadores muito focados, muito empenhados em fazer o que estou pedindo, o que estamos treinando. Nosso ambiente, apesar das dificuldades internas, apesar dos problemas que temos, a gente está focado no futebol, em dar resultado para tirar o Vitória dessa situação", frisou Lopes.

Dúvida na defesa

No aspecto tático, uma questão foi o motivo da dor de cabeça rubro-negra na semana. Com a suspensão do lateral-esquerdo Roberto, o Vitória ficou sem opções para ocupar a vaga no setor defensivo. Até então, o reserva imediato seria o jovem Pedrinho, mas um imbróglio na transferência envolvendo o jogador, entre o Vitória e o Athletico-PR, terminou atrapalhando que ele ficasse a disposição para o duelo.

Questionado sobre o que ele pretende fazer para preencher a lacuna deixada, Wagner Lopes optou por não revelar mais detalhes. Em sua resposta, ele exemplificou algumas questões referentes ao adversário, para justificar o mistério na escalação. A probabilidade é que algum atleta seja improvisado na posição.

"Pimpão vai começar jogando ou Pimpão no time deles? Me diz se Djalma Silva vai começar na frente ou começa como lateral e coloca um outro externo lá. São perguntas que a gente sabe que têm um impacto grande, sem fugir da resposta. Considero importante também. Mas, infelizmente, nós não temos uma reposição imediata para o Roberto. O Pedrinho está com problema de negociação. Então a gente está pensando em encaixar essa marcação da melhor maneira para dar construção ofensiva. Peço desculpas, mas vou deixar para a hora do jogo", explicou Wagner Lopes.

Atualmente, o Leão ocupa a 18ª posição na tabela, com 20 pontos, e precisa vencer a todo custo, caso queira ter a possibilidade de se livrar da zona de rebaixamento ainda nesta rodada. Para que isso aconteça, Ponte Preta e Vila Nova-GO, ambos com 22 pontos, precisariam perder seus respectivos jogos, contra Sampaio Corrêa e CSA.

Publicações relacionadas