Itália quer evitar novo pesadelo na repescagem para o Mundial

Italianos enfrentam a Macedônia do Norte, em Palermo

Publicado quarta-feira, 23 de março de 2022 às 22:00 h | Atualizado em 23/03/2022, 21:59 | Autor: AFP
Roberto Mancini, técnico da Itália: “Nosso objetivo é ganhar o Mundial, mas para ganhar é preciso vencer esses dois jogos”
Roberto Mancini, técnico da Itália: “Nosso objetivo é ganhar o Mundial, mas para ganhar é preciso vencer esses dois jogos” -

A Itália nunca ficou fora de duas Copas do Mundo consecutivas. Comandados pelo técnico Roberto Mancini, os campeões da Europa têm dois jogos para evitar um fracasso histórico e superar o trauma da eliminação na repescagem para o Mundial de 2018.

“Nosso objetivo é ganhar o Mundial, mas para ganhar é preciso vencer esses dois jogos”, disse nesta semana o sempre otimista Mancini, que vive o seu momento mais delicado em quatro anos à frente da seleção italiana.

>>Acompanhe as principais noticias do mundo do esporte

Para passar para a próxima fase da repescagem, a ‘Squadra Azzurra’ precisa primeiro bater a Macedônia do Norte nesta quinta-feira no estádio Renzo Barbera, em Palermo.

O perigo para a Itália pode ser um excesso de confiança contra 67ª seleção do ranking da Fifa, que está pela primeira vez na fase de repescagem das Eliminatórias Europeias para a Copa do Mundo.

Algo que parece provável, já que depois do título da Eurocopa a Itália soma decepções: fim da invencibilidade na era Mancini (37 jogos) na Nations League contra a Espanha e a perda da vaga direta no Mundial para a Suíça, que acabou em primeiro no grupo na primeira fase das Eliminatórias.

Remanescentes de 2018 querem redenção

A Itália pagou caro pelos empates com a Suíça (0 a 0 e 1 a 1), em dois jogos em que o meia Jorginho perdeu pênaltis que poderiam ter mudado o destino da ‘Azzurra’, e com a Bulgária (1 a 1).

É assim que a seleção italiana revive o pesadelo da repescagem, quatro anos depois de perder para a Suécia no mata-mata (0 a 1 e 0 a 0) e ficar fora do Mundial.

Um “apocalipse” para um país que não ficava fora da Copa do Mundo desde 1958. E como lembrança daquela derrota, nove jogadores que disputaram aquela eliminatória permanecem no time atual: Bonucci, Chiellini, Immobile, Belotti, Verratti, Insigne, Jorginho, Florenzi e Bernardeschi.

“Nós que vivemos a experiência há quatro anos teremos mais lucidez para controlar melhor as emoções”, disse nesta quarta-feira o veterano Chiellini, que quer jogar o Mundial para encerrar sua carreira na seleção com “chave de ouro”.

“Talvez não devêssemos estar nesta situação, mas o futebol é assim”, disse Mancini. Durante a semana, o treinador mostrou confiança nos jogadores, que há menos de um ano conseguiram “uma vitória que ninguém, absolutamente ninguém acreditava” na Eurocopa.

Mancini também não se mostrou preocupado com o estado psicológico do goleiro Gianluigi Donnarumma, que falhou na eliminação do Paris Saint-Germain para o Real Madrid na Liga dos Campeões da Europa e vive mau momento no clube francês, nem com a condição física dos experientes Giorgio Chiellini e Leonardo Bonucci, que estão em fase de recuperação e são esperados para a próxima fase da repescagem.

Immobile pode ser decisivo?

Mas além da segurança na defesa, a Itália terá que recuperar a efetividade no ataque e marcar gols, missão para a qual não poderá contar com Federico Chiesa, fora até o final da temporada por conta de uma lesão no joelho.

Para isso, Mancini aposta em Ciro Immobile, que enfim parece brilhar na seleção, e no trio de ataque do Sassuolo, formado por Bernardi, Scamacca e Raspadori, além do brasileiro naturalizado italiano João Paulo, do Cagliari.

A Itália terá que ser cautelosa com a Macedônia do Norte, que já mostrou ser capaz de surpreender, apesar de não ter mais seu 'herói' Goran Pandev, que se aposentou da seleção.

O pequeno país balcânico de apenas 2 milhões de habitantes fez sucesso na fase de grupos ao derrotar a Alemanha há um ano (2 a 1), garantindo o segundo lugar no grupo, à frente de Romênia e da Islândia.

“Sabemos que se defendem bem e têm qualidade técnica”, disse Mancini sobre os macedônios.

O meia do Napoli Elif Elmas, autor do gol decisivo contra a Alemanha, está suspenso para o jogo de amanhã, mas o treinador Blagoja Milevski, tão confiante quanto Mancini, o convocou pensando na próxima fase da repescagem.

“Todo mundo está pronto. Não estamos aqui por acaso, estamos prontos para fazer um grande jogo”, disse Milevksi em entrevista nesta quarta.

Publicações relacionadas