adblock ativo

Seleção feminina encara Austrália por vaga nas semifinal

Publicado quinta-feira, 11 de agosto de 2016 às 23:00 h | Atualizado em 11/08/2016, 22:39 | Autor: Redação e Agências
Terino seleção feminina
Terino seleção feminina -
adblock ativo

A campanha notável que a seleção brasileira de futebol feminino faz na Rio-2016 será testada nesta sexta-feira, 12, pela Austrália, em jogo válido pelas quartas de final, no Mineirão, às 22h. A seleção da Oceania é um dos dois fantasmas que assombram a equipe brasileira.

No Mundial do Canadá de 2015, a equipe liderada por Marta foi derrotada por 1 a 0 pela australiana  nas oitavas de final. Já na Olimpíada de Londres-2012,  acabou eliminada justamente nas quartas de final pela seleção japonesa, que venceu por  2 a 0.

Foi o pior resultado da seleção liderada por Marta, que vinha de duas pratas, em Atenas-2004 e Pequim-2008, ambas para os Estados Unidos.

A ferida mais recente foi lembrada pela volante  Andressinha, que participou do Mundial do ano passado e viveu o drama da eliminação precoce. "Não temos um sentimento de revanche. Temos que pensar no que temos que fazer, mas com certeza a vitória terá um gostinho especial", declarou.

A baiana Formiga, mais antiga  da seleção, tirou alguns conselhos de sua experiência para motivar a equipe. "As oportunidades que tivermos, temos que marcar. É seguir como estamos fazendo, juntas, com humildade ajudando uma à outra", afirmou.

"Precisamos estar totalmente focadas. Nunca se acomodar em campo, é impor nosso jogo do início ao fim.  O segredo é manter a tranquilidade", completou Formiga.

Apesar da postura voltada para tentar decidir o jogo no tempo normal ou no tempo extra, a seleção dedicou uma parte do treinamento para a cobrança de pênaltis. O técnico Vadão saiu do treinamento satisfeito com o bom aproveitamento das jogadoras, que cobraram penalidades contra as goleiras Barbara e Aline e a reserva Luciana.

Sem sofrimento

Dona da lateral esquerda,  Tamires torce para que a equipe verde e amarela não precise passar pelo sofrimento da cobrança de pênaltis. "Espero que isso não aconteça,  mas se for assim é preciso estar preparada", argumentou ela.

No jogo decisivo Vadão não poderá contar com a atacante  Cristiane, que está em tratamento de uma contusão  na coxa direita. A confirmação foi feita pela  Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

Fundamental no esquema do técnico Vadão, a jogadora se machucou durante a partida contra a Suécia e nem jogou a partida que terminou empatada com a  África do Sul.

Cristiane é a maior goleadora em Olimpíadas, com 14 gols marcados. Na Rio-2016 ela já anotou dois gols. A CBF assegurou ter havido "melhora do edema local" e acredita que a seleção brasileira,  passando pela Austrália, terá a atacante nas semifinais.

adblock ativo

Publicações relacionadas