adblock ativo

São Paulo sente altitude, leva virada, mas avança

Publicado quarta-feira, 30 de janeiro de 2013 às 22:58 h | Atualizado em 19/11/2021, 05:14 | Autor: Demétrio Vecchioli | Agência Estado
adblock ativo

Com a classificação garantida à fase de grupos da Copa Libertadores, o São Paulo sentiu o peso da altitude de La Paz nesta quarta-feira. Depois de abrir 3 a 0 sobre o Bolívar, o time brasileiro parou de jogar, tomou um passeio do Bolívar no segundo tempo, e levou a virada, perdendo por 4 a 3. Como na ida havia goleado por 5 a 0, conseguiu a vaga num resultado conjunto de 8 a 4. Mesmo assim, teve que ouvir olé da torcida boliviana.

A derrota é a primeira do São Paulo em La Paz na Libertadores. Até então, eram três empates e uma vitória. O resultado preocupa porque a equipe vai ter que voltar à capital da Bolívia para pegar o The Strongest. No mesmo grupo também estão Atlético-MG e Arsenal de Sarandi, da Argentina. A estreia é dia 13 de fevereiro, em Belo Horizonte.

Enquanto conseguiu jogar, o São Paulo viu grande atuação dos seus três principais nomes de frente. Jadson, Osvaldo e Luis Fabiano marcaram. O meia ainda deu duas assistência. Osvaldo somou um passe para gol na sua conta.

O JOGO - Se o Bolívar tinha como meta fazer cinco gols no São Paulo, logo teve que colocar mais dois na conta. Porque logo com dois minutos de jogo o time brasileiro mostrou que queria vencer e não apenas jogar com o regulamento embaixo do braço. Primeiro Luis Fabiano chutou e acertou o travessão. No escanteio subsequente, Jadson levantou na área, a zaga não tirou e o centroavante fez seu terceiro gol na Libertadores, o quarto em três jogos na temporada.

Como marcou fora de casa, o São Paulo só seria eliminado se levasse sete gols. Se ainda havia alguma dúvida de que a classificação estava selada, o time brasileiro tratou de ampliar o placar.

E muito graças ao atacante Osvaldo. Aos 15 minutos, em mais uma jogada pela esquerda, ele levantou na área, Justiniano falhou e Jadson deu uma de centroavante. Dominou a bola, parou na frente do marcador, jogou para a esquerda e bateu no cantinho para fazer o segundo.

O terceiro veio aos 34, triangulação entre os homens de frente do São Paulo. De Luis Fabiano para Osvaldo, deste para Jadson, que devolveu na medida para Osvaldo também deixar o dele.

Para não fazer feio diante da torcida, o Bolívar tratou de atacar, enquanto o São Paulo começou a cansar. Aos 37 veio o primeiro gol, com Ferreira, aproveitando espaço deixado nas costas de Lúcio. Na segunda etapa, aos 13, depois que Luis Fabiano já havia saído para entrar Aloísio, o Bolívar fez o segundo, com Cabrera, de cabeça, em falha de marcação de Paulo Miranda.

Apesar da entrada de Cañete, o São Paulo não tinha mais fôlego para nada. E, para piorar, mostrava dificuldades em acertar o tempo de bola. Aos 24, após cobrança de falta, Cabrera marcou de novo e empatou. A virada veio num pênalti bobo feito por Rhodolfo, quando o zagueiro colocou a mão na bola. Ferreira bateu e fez. Ainda eram necessários mais cinco gols para o Bolívar se classificar. Mas, a torcida da casa, feliz, terminou o jogo gritando olé.

FICHA TÉCNICA:

BOLÍVAR 4 X 3 SÃO PAULO

BOLÍVAR - Argüello; Eguino, Valverde (Yecerotte), Nelson Cabrera Baez, e Álvarez; Miranda (Rudy Cardozo), Flores, Justiniano e Lizio; Arce (Maygua) e Ferreira. Técnico - Portugal Vicário.

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Paulo Miranda, Lúcio, Rhodolfo e Cortez; Wellington (Casemiro), Denilson e Jadson; Osvaldo (Cañete), Douglas e Luis Fabiano (Aloísio). Técnico - Ney Franco.

GOLS - Luis Fabiano, a 1 minuto, Jadson, aos 15, Osvaldo, aos 34, e Ferreira, aos 37 minutos do primeiro tempo. Cabrera, aos 13 e aos 24, Ferreira (pênalti), aos 30 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Wilmar Rondán (Colômbia).

CARTÕES AMARELOS - Rhodolfo, Lizio e Nelson Cabrera Baez.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio Hernando Siles, em La Paz (Bolívia).

adblock ativo

Publicações relacionadas